Seguidores

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Uma boa semana

"Perante o sofrimento e a dor, perante a realidade que não desejávamos viver e que nos cai em cima, há quem se revolte, há quem culpabilize os outros e a si próprio, e há quem se decida a encontrar-lhe um sentido.

Quem se revolta contra o sofrimento é desgraçado, mas quem procura um sentido para ele cresce interiormente e é feliz."


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Mas é possível?

Bombom Imperador

"Bombom de chocolate de leite extrafino, com sabor altamente requintado, recheado por uma amêndoa inteira torrada, de elevada qualidade."

Eram na verdade assim os Bombons Imperador, da fábrica de chocolates a Vianense, centenária em Viana do Castelo.

Eram o orgulho da cidade e faziam as delícias dos visitantes. Quais Ferrero Rocher, Bacci, etc, para dar de presente! A sua qualidade e a rotulagem dos mesmos eram o cartão de visita da cidade.

Também a crise bateu-lhe à porta e deslocou-se com todo o kown how, para outra cidade.

Continuam a aparecer com a mesma qualidade e rotulagem em alguns sítios. A tradição tem destas coisas e até o factor marketing. Mas a modernice tem por vezes os seus efeitos perversos! Outro dia recebi uns já embalados com o símbolo do Benfica. Mas isto é possível?

Descaracterizar um bombom que sempre teve o seu envólcro com a figura de um Imperador, o qual deu o seu nome e conhecimento a nível nacional?

Que tristeza que eu senti e ao mesmo tempo revolta por se alterar de animo leve, tradições centenárias.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Passo a passo...

Ao fim de muitos meses ( nem sei mesmo se 1 ou 2 anos), o pequeno texto que deixo aqui ao domingo, foi deixado para uma segunda feira!

Algo de muito diferente se passou para que assim acontecesse...

Para uma pessoa que se movimenta normalmente, ir de Viana a Lisboa almoçar e voltar no mesmo dia, até se faz bem. Agora eu, com mobilidade reduzida foi um desafio muito grande.

Durante alguns dias andei com medo e via o Vabenne com a mesma sensação mas ao mesmo tempo, com pena de não estar nesse encontro especial, com toda a família. Tinhamos ambos receio de a distância ser demasiado longa para mim, tinhamos ambos receio de necessitar de uma simples casa de banho e ela não estar preparada para a minha condição. Enfim só "senões" para não irmos, para não sairmos uma vez mais, do conforto da nossa casa e "aventurarmo-nos" a sair de Viana!

Achei que não podia ser que tinha que haver uma 1ª vez para tudo e comecei a mentalizar-me e a incutir confiança ao Vabenne que TINHAMOS que ir!

E fomos! Tudo correu muito bem, o Vabenne estava feliz com os irmãos todos reunidos, eu cansei-me de falar (imagine-se.!) com as minhas cunhadas e sobrinhos e regressamos ao fim da tarde a Viana, chegando sobre o tarde.

Para mim foi algo de muito importante para o meu ego: não me senti "peso" ou "entrave" para o Vabenne e acredito de que com vontade poderemos fazer umas "escapadelas", pois todos os sítios, em princípio tem acomodação para pessoas com mobilidade reduzida.

Ao fim de tantos meses, esta pequena/grande conquista, trouxe-me o cheiro da felicidade!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Uma boa semana

"Unir o que está separado, lançar pontes, estabelecer laços. É um bom programa, e desafio para esta semana.

Somos convidados a aproximar-nos, a desfazer nós e a deitar muros abaixo.

É mais fácil levantar barreiras. É mais feliz vencer distâncias."


Vasco Pinto de Magalhães, s.j
.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Profissão: varredor de ruas!

Ontem e já ao fim de muito tempo, apareceu-me na clínica onde trabalho, o meu amigo Victor, varredor de ruas!

Foi uma alegria grande para os dois e ainda mais para ele que não me julgava encontrar ali, ao fim de tanto tempo.

Falamos sobre a vida, as voltas que ela nos obriga a fazer e relembramos tempos antigos e como nos começamos a falar.

Dantes, quando guiava, tinha sempre o hábito de ir tomar o café à mesma pastelaria. Foi na altura que surgiu a proibição de se fumar dentro de recintos fechados.

O dono colocou cá fora duas mesas com as respectivas cadeiras e eu ocupava sempre uma. Aí apanhei dias de sol mas recordo mais o frio e até pingos de chuva fustigadas pelo vento!

Passava sempre um varredor que também tinha que se sujeitar às agruras do vento: fizesse um sol de escaldar ou um frio de rachar!

Fazia-me pena ver aquele homem franzino naquela faina diária e um dia resolvi meter conversa com ele. E assim continuou sempre que passava na pastelaria à mesma hora que eu lá estava: como vai? ainda tem muito trabalho? o tempo hoje não está para se andar cá por fora. etc,etc,etc.

Depois fui trabalhar para a clínica e ele mudou de horário. Tempos depois encontramo-nos no café ao lado da clínica! Era ver a nossa alegria!

Não há coincidências há sinais! Um homem tão simples e humilde como consegue trazer-me palavras de coragem, esperança e conforto!

Espero puder transmitir-lhe o mesmo e que não voltemos a ficar tanto tempo sem nos vermos!

domingo, 15 de janeiro de 2012

Uma boa semana

"Por vezes, dou comigo a viver no passado; outras vezes, reparo que fugi para sonhar o futuro...É que o presente nem sempre é agradável, mas é o único espaço que tenho para fazer o bem.

O presente também serve para agradecer o passado, colher os frutos e programar o futuro.

Regar a árvore da vida é a tarefa do dia a dia. Não posso mudar o ontem, nem garantir para amanhã. Não vá apodrecer-me o único presente que tenho nas mãos."


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

sábado, 14 de janeiro de 2012

Que sociedade?

Cada vez que abro a TV, nos canais portugueses, ou se fala da crise e das medidas que ainda aí virão ou de roubos. Estes últimos têm sido cada vez mais frequentes e violentos.

Até Viana, uma terra pacata, é assaltos a multibancos, farmácias, ourivesarias, etc.

Não sei se isto é devido somente à crise ou ao desrespeito pela propriedade alheia e pelo sistema de justiça, tão lento entre nós.

Outro dia e em plena luz do dia foi esfaqueado um senhor que tentava defender a sua sobrinha, agredida por um adolescente. O rapaz, depois do seu acto tresloucado pós-se em fuga. Populares correram atrás dele e apanharam-no. Chamada a polícia, a mesma não pode dar ordem de prisão porque o referido adolescente já se tinha desfeito da arma branca!

Irá a tribunal, mas quando? Que outros actos tresloucados fará? Como, quando e onde irá expandir novamente a sua agressividade?

Isto está de cortar à faca. Falta pouco para usarmos cadeados em tudo e cada um ter a sua própria defesa. E aí sim, estamos em pleno far west!

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

A magnólia

Chegou só agora o Inverno! Eu sei disso porque tenho um termómetro no meu jardim: a minha magnólia branca!

Quando fica assim, cheia de flores brancas o frio bate à porta.

É um espectáculo muito bonito quando a relva está muito verde, os passarinhos saltitam por entre os seus ramos a a lareira crepita tornando a casa com uma temperatura muito agradável. E ainda por cima temos tido dias lindos de sol!

Observar a natureza pela sua evolução é muito reconfortante! Na Primavera começa a cerejeira brava com as sua flores rosa, no verão o jasmim que invade a casa com o seu cheiro e no Outono a vinha virgem com folhagem bordaux!

Tenho na minha casa um bom observatório! No jardim de trás é no verão a minha mini-horta que também me dá muito gozo.

Meu Deus tanto que eu tenho para aproveitar!

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

A mudança tem que acontecer!

Apesar da mobilidade fisica estar a diminuir será que a mental também? Olho para este ecrân em branco e dá-me uma breca. Quero escrever, contar, falar mas a cabeça bloqueia!

Será porque no meu dia a dia tenho pouco contacto com o exterior e não observo situações dignas de registo? Será porque passo os dias focalizada em dois ou três assuntos que julgo não serem para aqui descritos?

Eu que tive até à pouco tempo uma vida tão cheia, feliz e embrulhada num papel tão colorido, não poderia reviver esses momentos? Nesta altura acho que não porque a alegria foi-se, a esperança desvaneceu-se e o passado parou a determinada altura.

Mas este estado de alma tem que ser combatido, vencido, ultrapassado. Não o posso prolongar por mais tempo porque então passarei a fazer parte dos derrotados e isso eu sei que não quero.

Do meu canto de trabalho e através de um grande janelão vejo a natureza a transformar-se, os passarinhos a lutar pela sua sobrevivência e eu tenho que fazer o mesmo.

Que este ano que iniciou me traga a coragem e esperança de que tanto necessito!

domingo, 8 de janeiro de 2012

Uma boa semana

"Viver é repartir. Re-partir. Há quem reparte, isto é, divide com os outros os seus bens. Há quem reparta, torna a partir, isto é, recomeça de novo a caminhada. Repartir é viver.

Este é o segredo: partilhar e recomeçar sempre. Assim faremos de cada dia um bom dia!"


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Aih este computador...

Acho que este meu computador, começou o ano já cansado!

Quero meter imagem e ele não responde, quero deixar comentários em vários blogs e ele não me deixa. Agora que eu me tinha proposto a não ficar tanto tempo sem escrever aqui, ele resolve contrariar-me. Mas será que as máquinas têm sempre razão?

A verdade é que nos deixam com uma sensação de impotência. O melhor é dar-lhe tempo para ver se ele recupera!

domingo, 1 de janeiro de 2012

Um 2012 de mudança!

Neste 1º dia do ano, quero desejar a todos os que me visitam um 2012 cheio de coragem, paz e saúde.

Nunca poderemos chamar de "Ano Novo" se cometermos os mesmos erros do ano anterior.

Parecendo ser muito difícil, eu tenho objectivos que gostaria de praticar neste ano que se inicia:

- ser mais corajosa;
- ser mais persistente;
- não me deixar vencer pelo passado;
- diversificar as minhas actividades;
- ser mais realista e não pensar que terei que me entregar;
- vencer, com todas as minhas "fibras" o meu estado emocional e fisico;
- viver o dia a dia preenchido com pensamentos positivos;
- pensar que serei capaz de tudo isto!

Que assim seja, para mim, o 2012!!!

Uma boa semana

"Mas porque me haveria de acontecer? Mas porquê eu? Porquê esta situação, esta dor?

Há perguntas erradas. Pergunta antes e sempre: "para quê" Para quê, onde leva? Que posso fazer com esta experiência, esta relação, esta morte? Que nos ensina, que nos mostra?

Há pessoas que não passam da "idade dos porquês". Ficam a olhar para trás feitas "estátuas de sal", sem saída. Pergunta pela finalidade: importa o "para quê" da vida."


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.