Seguidores

domingo, 25 de dezembro de 2011

Não poderia passar este momento sem desejar aos meus amigos deste cantinho, um Santo Natal e que 2012 traga a todos paz e esperança.

Um grande beijo.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

8 de Dezembro: dia da Mãe.

Para mim este é e será sempre o Dia da Mãe. Os meus filhos ficam baralhados pois dizem que cá em casa há 2 dias e por uma questão de dúvida, mandam-me um beijo especial em Maio e Dezembro.

O ano passado foi esquecido e este também. Compreendo, mas tenho pena que esta tradição se perca como tantas nesta sociedade.

Os meus filhos sempre fizeram isso mas mais uma vez sou forçada a lembrar-me com muita saudade quando o Afonso cá estava entre nós. Telefonava-me sempre dizendo: "Mãe hoje e em especial é o seu dia. São todos mas este adoptamos como efectivo aí em casa. Um beijo grande para si."

O bálsamo que estas simples frases eram para o meu coração! Só quem é Mãe sabe e sente como tal.

Mãe é um ser que se multiplica, se divide e soma pelos filhos. Nunca subtrai!

É quem proporciona a 1ª festa, o 1º beijo, o 1º abraço, o 1º dar de mão, o 1º sorriso, o 1º passo e que depois os acompanha ao longo da sua aprendizagem, do seu crescimento e que finalmente abre a "gaiola" para baterem as suas asas pelos caminhos da vida.

Não há missão mais completa que esta!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Vou tentar com todas as minhas forças...

"Vou parar de reclamar de “um coração quebrado” e começar
a agradecer a Deus por ter “um coração que ainda bate”

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Este Natal...

PARA O NATAL NÃO QUERO NADA DE PRENDAS, SÓ QUERO UMA ESCADA BASTANTE ALTA PARA PODER IR A ABRAÇAR QUEM PARTIU DEMASIADO CEDO, TAMBÉM NÃO NECESSITO DE PÔR UM ANJO NA MINHA ARVORE DE NATAL, PORQUE JÁ TENHO UM QUE ME GUIA DESDE O CÉU.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Uma boa semana

" Unir o que está separado, lançar pontes, estabelecer laços. É um bom programa, um desafio.

Somos convidados a aproximar-nos, a desfazer nós e a deitar muros abaixo.

É mais fácil levantar barreiras. É mais feliz vencer distâncias."


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Inevitavelmente Dezembro chegou...

"Me dêm o nome
que vocês sempre me deram,
falem comigo
... como vocês sempre fizeram.
Vocês continuam vivendo
... no mundo das criaturas,
eu estou vivendo
no mundo do Criador.
Não utilizem um tom solene
ou triste, continuem a rir
daquilo que nos fazia rir juntos.
Rezem, sorriam, pensem em mim.
Rezem por mim.
Que meu nome seja pronunciado
como sempre foi,
sem ênfase de nenhum tipo.
Sem nenhum traço de sombra ou tristeza.
A vida significa tudo
o que ela sempre significou,
o fio não foi cortado.
Porque eu estaria fora
de seus pensamentos,
agora que estou apenas fora de suas vistas?
Eu não estou longe,
apenas estou
do outro lado do Caminho...
Você que aí ficou,
siga em frente,
a vida continua,
linda e bela como sempre foi."


Neste mês que se inicia, não me peças isto meu querido! Sei que com o teu feitio alegre era assim que gostavas de me ver, mas para a Mãe é um período ainda mais doloroso que os outros: há um ano estava em choque e houve muita coisa que me passou. Este ano não: é vivênciar todos os momentos da realidade crua.

Quero que este mês passe a correr para depois, com as forças que encontrar, puder fazer-te a vontade, pois eu sei que tu ficavas contente. Estejas onde estiveres peço que me dês forças para continuar em frente, lembrando-me com um sorriso os teus olhos cor de mel, o teu carinho demonstrado sempre com um beijo na testa, os nossos passeios de mão dada, os teus momentos de relax deitado no chão da sala com os cães a teu lado, o cheiro tão característico do teu quarto quando te ia dar os bons dias, as conversas interessantes que alimentavas em família, os sonhos fervilhando na tua cabeça e esse teu sorriso tão doce.

Quero lembrar-me sempre assim de ti mas preciso de ajuda.

Em Dezembro, não vou conseguir meu querido! Com os olhos embaciados, peço-te desculpa.

Um grande beijo da mãe que te adora!

domingo, 27 de novembro de 2011

Uma boa semana

"Nada é mais cansativo que uma pessoa egoísta: gasta-se a si e desgasta os outros. Cansa!

Mas uma pessoa aberta, com quem se pode estar gratuitamente, que não precisa de fazer teatro, com quem se pode ser o que se é, descansa e é descansativa."


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

domingo, 20 de novembro de 2011

Uma boa semana

"Ninguém pode garantir nada do amanhã, por isso devemos estar preparados para tudo. Há que saber viver na abundância e na penúria, ser feliz com sol ou com chuva,porque a felicidade não depende disso, mas da paz interior e do sentido que damos à nossa vida.

Quem "só se lembra de S. Bárbara quando faz trovões", não está preparado para o futuro. Vive a remendar."


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

domingo, 13 de novembro de 2011

Uma boa semana

"Enquanto não aceitarmos que a vida é difícil, e isto não é mau, não só não arranjamos estratégias e calma para vencer as dificuldades, como as aumentamos e arranjamos uma dificuldade maior.

O que torna a vida ainda mais difícil do que é na realidade é pensar que ela devia ser fácil ou que alguém tem direito à facilidade.

Mas a vida sem luta não é vida!"


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Bem haja meu filho!

Guardei este dia para falar contigo! Estivemos juntos com a Sara, Vasco e Rita, mas a Mãe anda numa fase que não é das melhores: vive pensando no passado, deixa escorrer entre os pensamentos e a melancolia o presente e não perspectiva nada para o futuro.

Contudo, foram uns dias que me proporcionaram um "acordar" para a realidade e aproveitar o presente!

Tens feito o teu caminho caminhando na direcção certa sempre com a preocupação de respeitar, ajudar e colaborar com o próximo. Tens sido o filho e pai exemplar do qual muito me orgulho.

Assim irás continuar pois a vida para ti é uma estrada aberta com um traçado bem delineado. É meu desejo que esta etapa marcada pelos 35 anos que fizeste te abra uma outra etapa com tudo de bom que tu mereces!

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Insustituível...


Partiram muito cedo... Ou partiram simplesmente...Quando olhamos para o Céu gostamos de pensar que olham para Nós. Muitas vezes lembramos-nos Deles... De manhã... À tarde... ou á noite, olhando para as estrelas... Numa data... Numa musica... Num simples cheiro...
05.10.2011. - 10 meses...

domingo, 2 de outubro de 2011

Uma boa semana.

"É tão importante saber estar sozinho! Só e sozinho não é a mesma coisa. Posso estar sozinho e não estar só, porque estou cheio de presença, de relação e de Deus.

Dizia alguém: "Torna-te amigo de ti mesmo e conseguirás viver sozinho".

Mas se estou mal comigo, tudo é insuportável. Sobretudo a minha companhia."


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Encontros e despedidas!




Estive uma semana ausente deste espaço e absorta em mim!

Tive absorta nas boas recordações que me deixaram dois fins de semanas seguidos: um com o João, Sara e Vasco e no outro a seguir com a Rita e Filippo! Por isso, uma semana preenchida com as emoções que vivi seguidas.

Agora as saudades e as emoções preenchem mais os meus dias e depois destas chegadas e partidas fico quase inter-planetária: entro numa "galáxia" muito minha, alimentando-me do que ficou para trás. E tanta coisa boa ficou vivida e partilhada!

Hoje decidi sair desta "letargia" e acordar para o presente e pensar: que Deus permita que vá tendo muitas destas "chegadas e partidas" que me enchem tanto a alma.

O meu dia a dia é muito sereno, devido às circuntâncias de perda gradual de mobilidade, da dor e saudade do meu filho que partiu e portanto estes momentos são preenchidos com maior intensidade. Agarro-me ainda mais aos encontros dos outros filhos e neto o que me parece natural.

"A emoção me faz chorar. A tristeza me faz crescer".

domingo, 25 de setembro de 2011

Uma boa semana.

"A lista de desgraças do nosso mundo parece não acabar e até aumentar: guerras, fome, escândalos, abusos, corrupção...

Parece que vai tudo de mal a pior. Será? O pessimismo parece mais inteligente, mas a esperança é mais sábia.

Não será esta desgraça um grito de que tudo tem que mudar, de que queremos ir por outro caminho? E se queremos é porque ele existe."

Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Que se repita por muitos!

Com um dia de atraso entre o texto e a música! ( manias e rasteiras do computador)

Na altura transcrevi um verso cujas palavras eu sei que vocês guardaram nos vossos corações e que o aplicam e irão aplicar para que esse dia 22 de Setembro seja sempre lembrado:

"Quero amar-te sem te asfixiar,
apreciar-te sem te julgar, unir-me a ti sem te escravizar,
convidar-te sem te exigir,
criticar-te sem te ferir e ajudar-te sem te desprezar.
Se puder obter o mesmo de ti,
então poderemos realmente encontrar-nos e
enriquecer-nos mutuamente."

Em baixo está a vossa música que ao ouvi-la consigo relembrar-me desse dia comovente e intenso para esta Mãe!

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Para ti meu pirralho!


Já dois anos meu pirralho! Como o tempo passou tão depressa e mesmo assim a avó parece que te conhece desde que se conhece a ela. Sabes que o amor tem destas coisas que não se explicam.

O anterior fim de semana estiveste em Viana e como a casa se enche logo! É o teu falar, as tuas gargalhadas, o teu correr e as tuas brincadeiras!

Como nós os dois brincamos muito e tu adoras as macaquices da avó. Como eu fico feliz com isso, meu querido, e como me enches a alma.

Trazes sempre novidades no teu progresso e desta vez, e uma vez mais, achei-te muito desenvolvido na fala, fazendo já frases completas. Daqui a pouco sentas-te a meu lado e vamos conversar durante horas!

A tua ansiedade e curiosidade é tanta que já entraste na fase dos "porquês?" Já não é o "ham?" mas "porquê?"!!!

Hoje falamos pelo skype mas, como é compreensivo, estavas com mais atenção aos presentes!

Esta sexta feira chega a tia Rita e tio Filippo para passar um fim de semana comprido. Eras para vir cá com os pais mas tornava-se cansativo até porque, no início do mês vão os 3 a Itália a casa dos tios. Não será a tua 1ª viagem de avião, mas é a mais longa. Sei que te vais portar bem e que vais gostar pois tu és o verbo "ir"!

A avó, quando estás longe, está sempre cheia de saudades tuas. Sabes "porquê"? Porque te adoro meu querido!

Mais um beijo de parabéns e que continues sempre crescendo em harmonia!

terça-feira, 20 de setembro de 2011

E assim se vai fazendo o caminho!

Há 30 anos nascia uma princesa! Começava a sua aventura para a vida.

Tendo agarrado o dedo de sua Mãe, logo nos primeiros minutos da sua vida, prendeu-a para sempre!

Foi um bebé, uma criança e depois uma adolescente que soube sempre lidar bem com as suas crises, dissabores e contrariedades sem nunca causar preocupações a seus pais. Cresceu e tornou-se numa mulher corajosa, decidida e de bem com a vida. Ama e é amada pelos seus e pelos amigos que foi fazendo e soube conservar.

Encontrou, na altura necessária o seu príncipe, com quem vive num país distante do seu. Até nisso demonstrou coragem, decisão e vontade de ir atrás da sua felicidade.

Por tudo o que é e por mais um ano da sua vida, muitos parabéns querida filha!

domingo, 18 de setembro de 2011

Uma boa semana.

"O saber e o sabor. Hoje vou estar mais atento ao "sabor das coisas" do que a "saber coisas". É que há muita gente que não sabem qual é o sabor da vida simples e desprendida, de um encontro pacífico e não interesseiro, de um momento de verdade...

É talvez mais importante saborear a vida do que saber da vida."


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

domingo, 11 de setembro de 2011

Uma boa semana.

"Se"... Esta palavrinha é muito perigosa. Pode-nos encher a vida de "condicionais", e a levar a adiar tudo ou a desistir.

Se eu soubesse o que se vai passar, se estivesse nesta situação, se fosse mais magro, se tivesse mais dinheiro, se não fosse a chuva...então seria, faria, aconteceria...

Mas só há uma maneira de viver: com o que sou, aqui e agora. O resto é tentação!"


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Como o que é não parece!

Tenho em casa um "Profissional Trainer"! Ignorava totalmente até que descobri que o Vabenne está comigo de férias!

É um professor exigente mas como me conhece muito bem, não me deixa exagerar nos exercícios. Duas vezes por dia "chama-me" para a aula. E ainda por cima elogia a aluna, dá-lhe força e tem muita paciência. Longe mas muito longe daquilo que eu pensava!

O Vabenne diz que férias é fazer algo diferente. Teria sido provavelmente bom termos saído para fora mas este pequeno intervalo no seu trabalho, acho que lhe tem sabido melhor do que imaginamos: conversamos, temos os nossos momentos de silêncio, pausas para as leituras, organização facilitada do dia a dia doméstico, as suas idas às compras de que não se importa pois traz sempre algo para um pitéu, as suas saídas para ir com um amigo aos cogumelos ou fotografar, as suas bricolages, o tratar com calma do jardim, etc, etc, etc, preenchem-lhe os dias.

A mim tem-me sabido também muito bem não só por o ver assim como a paz e tranquilidade que tudo isto me transmite.

Não digo: fora a empregada, mas direi: pode ir de férias!!!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

domingo, 4 de setembro de 2011

Uma boa semana.

"A paciência é uma "paz-ciência". A "paz-ciência" não se contenta com tratados de reconciliação nem com tréguas.

Vai muito mais longe, pensa que tudo tem a sua hora e, ainda que não goze a paz, sabe vê-la no horizonte. A ciência da paz deve começar no momento do desencontro. A ciência da paz é a paciência.

A paciência tem horizontes largos e é própria dos fortes."


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Como a empregada pode ser fundamental?

Uff!!! Como é possível a minha empregada ir hoje de férias e eu já ter saudades dela?

Foi uma semana que ela andou a mais de 100Km/h, para deixar tudo organizado incluindo algumas refeições.

Ela é uma bem disposta, ela encoraja-me muito, ela é organizada, ela "zanga-se" comigo quando me dou à preguiça para fazer os exercícios em casa, ela guia o meu carro, ela entusiasma-me para sair, ela adora ir comigo às compras de roupas, enfim, ela é um elemento fundamental no meu dia a dia.

Sei que terei o Vabenne para me ajudar, mas não é tão prático como ela.

São só 15 dias mas parece-me uma eternidade! Estou desejosa de a ouvir abrir outra vez a porta de entrada.

Sei que o Vabenne fará o seu melhor mas homens são homens e eu agora requero mais tempo para mim.

Mas também acho que não devo fazer disto um bicho de 7 cabeças: estaremos os dois mais próximo, o Vabenne irá fazer tudo para me proporcionar uns dias sem stress, teremos mais tempo para estar juntos e eu, com as minhas ganas e preocupação de não o "prender" muito irei dar mais de mim, e sem me aperceber colaborar mais na minha "indepêndencia".

Há males que vêm por bem e se Deus quiser este será um deles!

domingo, 28 de agosto de 2011

Uma boa semana.


"Quando chega a noite e olho para trás posso compreender melhor a importância de me ter levantado, ou não, àquela hora, o valor de tal visita, o impacto do que disse e ouvi.

A vida estende-se de frente para trás. Só um dia saberei o valor de cada passo.

É preciso muito cuidado com o desânimo, pois posso estar a desvalorizar algo em relação ao qual, um dia mais tarde, poderei dizer: Que bom foi ter acontecido!"

Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

sábado, 27 de agosto de 2011

Mais uma batota!!!

Outra batota!

Deixei um espaço livre onde descrevi a despedida do João, Sara e Vasco. Depois foi recordar, não deixar a empregada limpar as vidraças que dão para o relvado onde o meu neto tanto brincava trazendo folhas e relva para a avó, deixando nas mesmas as marcas das suas mãozinhas!

Avó bacouca mas que vibra assim!

Hoje já me sinto mais recomposta e sonhando com o novo encontro, este com a Rita e o Filippo!

Espero que me desbloqueie a memória e me surja imaginação para escrever neste espaço que me aparece em branco.

Temas existem mas tem que haver um"clique" nos neurónios! Escrever no decorrer do pensamento é fácil. Difícil é pensarmos: tenho que escrever e isso eu não consigo.

Como por exemplo esta semana dediquei-a a imaginar tarefas que me ajudarão a melhorar a locomoção e não estar sempre a martirizar-me: vou começar a pintar a carvão e a não esquecer tanto os livros aqui postos na mesa de trabalho. Terapia pessoal que é tão importante se os médicos dizem que o agravamento da minha locomoção é em grande parte psicológica devido ao trauma e por conseguinte ao luto que estou a fazer. Eu sabia que a cabeça comanda muito mas ninguém me ensinou a fazer "off" e "on". Tenho que ser eu com o que conheço de mim.

Requer esforço, vontade e muita esperança. E isso sempre tive e espero que não seja agora que mais preciso, que vou perder.


terça-feira, 23 de agosto de 2011

Despedidas = vazio???

Partiram!

Foi uma semana em cheio e agora é o vazio.

Ouvir o movimento pela casa, o palrar constante, os sorrisos e os risos, as brincadeiras, as salas cheias com o correr, o saltar, os entretimentos sozinho ou com a avó, deixaram-me uma saudade imensa!

Não é por ser meu neto, mas é um poço de doçura e de alegria.
Estando eu limitada a uma cadeira de rodas temos uma empatia enorme. Não posso brincar às escondidas, não posso correr atrás dele para o encher de beijinhos, não posso tê-lo a meu colo e fazer o cavalinho, mas também não preciso pois ele faz-me tudo isso!

Esconde-se e aparece feliz, corre para mim para trocarmos miminhos e sentam-no ao meu colo e inventámos um cavalinho que o faz rir à gargalhada! Acha graça à cadeira a que chama "carro da avó", achando que os travões das rodas são as mudanças que ele maneja tão bem e empurrando damos umas voltinhas pequenas. Ao andarilho acha que é uma casinha e quantas vezes se senta envolto nele a brincar com os seus carrinhos ou sentado a pintar o seu livro de colorir.

E isto tudo me deixa tão feliz e com a certeza que ainda sou útil para o meu neto. Canto, entretenho-o para comer, brincamos, fazemos caretas um ao outro e somos cúmplices em tantas malandrices que ele faz!

Tenho tanta ternura que ainda não consegui encontrar um "petit nom" para o tratar: "estrufe", "pirralho", "pecheneca", Vaskotita, piolho, etc,etc,etc. Quando a ternura não tem limites tenho a tendência de arranjar "petit nom" como tenho para o marido e filhos. Ao Vasco Junior ainda não acertei!

Partiram ao fim de uma semana! Agora irei preencher os momentos com as magnificas recordações. Contudo não consegui, depois de saírem, conter as lágrimas todo o dia. Queria parar e elas escorriam-me pelos olhos.

Porque é que as coisas boas têm que terminar? Porque tenho os meus filhos tão longe? Porque é que depois de uma vida tão feliz "ela" agora não me proporciona a possibilidade de me deslocar sozinha e ir ter com eles?

Tantos porquês e porque não: eu posso! Tenho apoios, tenho facilidades nos transportes, tenho sítios preparados para me receberem onde eles estão a viver. Tenho é que perder o medo de incomodar, o medo de não me aventurar.

Meu querido neto, um dia destes a avó vai ter contigo!

domingo, 21 de agosto de 2011

Uma boa semana.



"Distribuir é uma sabedoria. Pode pensar-se que é fácil e que, para ser justo, basta dividir em partes iguais para cada um. Mas não, essa seria uma justiça cega sem coração.

Distribuir é dar a cada um aquilo que cada um necessita. E como as necessidades são distintas, só há igualdade se se atender à diferença."


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Uma semana em cheio!

Durante uma semana, tenho cá o meu filho João, Sara e o Vasco Junior! Vão ser dias que irei aproveitar ao máximo a sua estadia!

Claro que a "vedeta" é o meu neto! No espaço de 15 dias fez imensa diferença: na fala, nas brincadeiras, na comunicabilidade e na indepêndencia. Cada vez me entretenho mais a vê-lo brincar e tagarelando sózinho.

Adora ir para o jardim, colocar-se de joelhos junto a um vaso largo cheio de terra e "catar" torrões e pedrinhas que vai deitando para a relva. Mas a certa altura deve pensar e com razão que esvaziá-lo demora muito tempo e então vai à mãozada. Fico "deliciada" com a decisão dele pois é terra pelos ares!

Claro que as salas se transformaram em salas de brinquedos e todos os materiais "proibidos" foram retirados. Tudo se transforma por causa de um pirralho!

É um verdadeiro "macaquinho" pois imita na perfeição o que dizemos mesmo as palavras complicadas. É um poço de boa disposição, alegria e genica!

As refeições com todos à mesa são uma delícia e de manhã ouvir esta vozinha dizer aos pés da minha cama: kuku Avó deixa-me com o dia quase ganho porque de alma cheia só à noite quando ele vai dormir!

Pensar que vão ser dias assim vou ficar, de certeza, com muitas reservas, eu que andava tanto a precisar!



domingo, 14 de agosto de 2011

Uma boa semana


"Há os que gostam mais do sol, outros mais da chuva, outros nem de uma coisa nem outra.

E se chove, os que gostam do sol já acham que estraga o dia!

Ora, o sábio é o que gosta do sol e da chuva, seja do que for, porque de tudo sabe tirar partido e aproveitar o bem que ali se encontra."


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

sábado, 13 de agosto de 2011

Sementes ao vento!

Gostaria de deixar aqui um post que escrevi no blog do meu filho Afonso e que para mim retrata bem o que ele foi na sua curta vida. Sem pieguices, sem choros mas com um orgulho muito grande!




"A sua vida curta deixou sementes como que atiradas ao vento por todo o lado onde foi passando. Há quem passe uma vida longa sem deixar nenhuma!

Desde muito pequeno e até partir, foi atirando "pós" de amizade, de camaradagem, de companheirismo às pessoas que lidou de perto. Tem amigos verdadeiros da infantil, da primária, do secundário e da universidade. Deixou amizades sinceras nos seus colegas de trabalho e nos companheiros das festarolas, dos encontros para a jogatina, das churrascadas ao fim de semana, dos encontros em sua casa com bom gosto culinário e dos destinados simplesmente à desbunda! Foi sincero e amou todos como eles foram para si.

Sabia guardar um segredo como de mais sagrado se tratasse. Deu-se com pessoas humildes e mais cultas com a mesma igualdade de tratamento.

Concerteza zangou-se, teve que dar um berro ou um murro na mesa mas tenho a certeza que no instante seguinte estava tudo esclarecido, esquecido e de bem.

Não aceitava a maldicência, a falta de respeito, a inveja ou a traição. Amou a sinceridade com toda a sua força!

O ambiente à sua volta era de uma alegria contagiante e quantas vezes era criado e incentivado pelas suas "maluqueiras" como, anedotas, caracterização de pessoas, música alta, danças do kizomba como se tivesse aprendido em África e imitações dos nossos patrícios africanos! Ninguém conseguida continuar mal-disposto ou zangado depois dessas tropelias!

Por isso é que, meu querido, os seus amigos em vez de "pesâmes"ou "sentimentos" me disseram uma frase que naquele momento e que tantas vezes me lembro, desse tanto orgulho a esta Mãe:

OBRIGADO PELO AFONSO!!!



quinta-feira, 11 de agosto de 2011

A minha batota!



Há umas palavras que apesar de serem feias, depois de explicadas, tornam-se mais compreensíveis, e uma delas é esta ao lado!

Todos os domingos penso mais nos amigos, nos conhecidos, nos que vêm por curiosidade a este canto e desejo que todos tenham uma boa semana que se inicia.

Escolho sempre uma pequena citação do padre jesuíta, Vasco Pinto de Magalhães, para que possamos reflectir, e se possível que nos toque, para que a semana corra melhor.

Contudo e por vezes, o domingo passa a correr mas eu tenho que abrir o computador e deixar um espaço reservado para este tema. Posso vir a escrever mais tarde, até porque escolho as leituras, mas tenho que desejar " uma boa semana".

Estou perdoada por esta pequena batota não estou?

domingo, 7 de agosto de 2011

Uma boa semana

"Ir ou não ir na onda", eis a questão. Estes tempos de verão despertam em muitos o desejo de fazerem o que está na moda, de competirem,de se divertirem até à exaustão para se mostrarem e se sentirem como todos.

Que cansaço de férias têm alguns!

É preciso coragem para não ir na onda, para buscar o que é saudável, o que purifica, e isso só com vida interior se consegue.


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

sábado, 6 de agosto de 2011

Solidão


> > Solidão - Francisco Buarque de Holanda


> > Solidão não é a falta de gente para conversar,
> > namorar, passear ou fazer sexo.....
> > isto é carência.
...> >
> > Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de
> > entes queridos
> > que não podem mais voltar.....
> > isto é saudade.
> >> >
> > Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe,
> > às vezes, para realinhar os pensamentos.....
> > isto é equilíbrio.
> >
> > Solidão não é o claustro involuntário
> > que o destino nos impõe compulsoriamente
> > para que revejamos a nossa vida.....
> > isto é um princípio da natureza.
> >
> > Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado.....
> > isto é circunstância.
> >
> > Solidão é muito mais do que isto.
> > Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos
> > e procuramos em vão pela nossa alma .....

E é isso que eu começo a sentir mas tenho que combater com todas as minhas forças...

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

As férias que escolhi.


Este ano não terei provavelmente férias no sentido de sair alguns dias de casa.

Resolvi foi dar férias ao fisioterapeuta, à enfermeira da acunpultura, e à psicóloga.

São férias que me têm sabido bem pois fico com mais tempo para mim.

Pode não parecer mas um dia com este, outro dia com aquela, outro dia ouvir e falar dos nossos medos e dificuldades de enfrentar as coisas do dia a dia, cansa. Portanto tudo e ao mesmo tempo de férias!

Claro que terei que fazer sozinha os meus exercícios de fisioterapia, mas faço na pausa de uma leitura, no intervalo de uma escrita e não a horas marcadas e estipuladas!

Dizem que férias é variar de actividade e eu, à falta de melhor, variei assim.

Também se diga que a vontade fisíca e psíquica não é grande para deixar o meu cantinho, as coisas que me dão tanta ajuda no dia a dia e o meu conforto. Dizem as amigas que é comodismo, uma depressão devido ao que me aconteceu, uma falta de interesse ao mundo exterior.

Pode ser que tenham razão mas este ano foi as férias que eu escolhi sem dramatizar: tranquilidade, preguiça em relação aos técnicos e mais tempo mais livre para mim.

domingo, 31 de julho de 2011

Uma boa semana

"A maturidade é uma ave que levanta voo ao cair a tarde." Foi Platão que o disse poeticamente.

E realmente os nossos "homenzinhos" feitos à pressa e cheios de opiniões, tal como os fabricam as nossas sociedades de aceleração e abundância, são tão infantis afectivamente!... O problema é ainda mais grave numa sociedade que não respeita os mais velhos."


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Dois palmos de gente!!!

Veio passar o anterior fim de semana com os Avós. Deixa-nos totalmente infantis, deliciados e com vontade de lhe fazer umas judiarias, como por exemplo apertar e beliscar as suas bochechas!

Mistura o seu olhar meigo com a malandrice. Consegue encher uma casa grande em algo pequeno pois se não dorme, rodopia por tudo o que é sítio, fala e tagarela pelos cotovelos e risse daquilo que sabe ser asneira ou que acha graça.

É o meu neto!

Não posso correr atrás dele, não posso rebolar no chão ou fazer o cavalinho, mas conseguimos ter os dois um intercâmbio de outras actividades que me deixam deliciada e ele todo contente! Temos uma cumplicidade muito grande e o pouco que lhe ensino contrabalança com o muito que o deixo fazer!

Por isso é que quando se encontra aflito por algum raspanete que vai levar dos Pais, olha para mim com os seus olhos de súplica e eu só posso discretamente baixar os meus!

Perco a cabeça quando à noite, e antes de jantar, desce com o seu pijama e robe vestido e as croks calçadas! Não sei como me aguento! Ás refeições senta-se à minha frente e se não me vê a rir, conversar com os Pais ou Vabenne ou a dar-lhe atenção, faz logo uma careta das que lhe ensinei ou pede uma música.

Depois anda aqui pelas salas rodopiando, palrando mas quando se quer deitar chama a Mãe, dá-lhe a mão e vem dar um beijo e dizer a todos: tchau! A sua independência toma lugar e terminou o dia para o Vasco!

E é este dois palmos de gente, muito alegre, falador e brincalhão que me enche a alma e deixa reservas até à próxima vez que voltar a casa dos avós!

domingo, 24 de julho de 2011

Uma boa semana

" - Bom dia, então como vai isso?" - "Ah mais ou menos, vamos andando!" Resposta horrível, morna que nem sequer é verdadeira.

Sabemos ver se vai chover ou fazer sol, sabemos se a Bolsa sobe ou desce, mas parece que não queremos ver e agarrar a vida, dizer se está a ser construtiva ou não, pondo assim o nome às coisas!

Sem identificar os caminhos, não sou eu que decido sobre a minha vida, é alguém que me leva à trela.


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

Manias de um computador...especial!


Comecei a escrever na 2ª geração do Magalhães, trabalho de desenho e concepção desenvolvido pelo meu filho Afonso. Nunca mais quis outra coisa. Afeiçoei-me muito a ele e agora mais do que nunca.

Sei que o software tem limitações e por isso o meu filho João ofereceu-me um todo XPTO. Contudo eu continuo com o meu Magalhães, com umas letras pequeninas, um ecran mínimo, lento mas é o meu computador!

Por vezes dá uns saltos, salta de página, não me deixa meter música ou fotografias enfim um teste à minha paciência mas que eu acho que preciso destes momentos de calma, de "falar" com ele, de saber esperar.

Agora não me deixa escrever comentários nos blogues dos amigos! Tenho-os lido e quando ponho a seta em cima do comentário não me abre. Tenho que aguardar uns dias meus amigos pois, ou será uma cena de ciúmes ou cansaço. Ele lá sabe e eu tenho que aguardar pacientemente pois mais nada posso fazer.

Peço desculpa pela falta de comentários, mas logo que o Magalhães se decida lá estarei. Espero também calmamente, pois até em contrário e por uma razão muito forte, será o meu computador de eleição!

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Encontros familiares.

"Uma boa semana", foi escrito, durante muitos meses, ao domingo. Desta vez foi ao sábado pois eu tinha a certeza que não poderia escrever nesse dia.

Fomos a Coimbra a um encontro da família do Vabenne. Junta-se sempre muita gente entre irmãos, cunhadas, e sobrinhos. São mesmo muitos e todos muitos faladores e diferentes uns dos outros. A conversa não tem fim e todos ouvimos entre exclamações, perplexidades e risos as suas histórias.

Os sobrinhos vão pelo mesmo caminho. Quem sai aos seus não degenera!

Contudo há dois que mais me espantam pelo rumo que eram às suas vidas. O Pedro e a Joana.

O Pedro: rapaz bonito, belíssima figura com uma vida normalíssima de adolescente. Estudante de medicina dentária, tirou o seu curso, abriu consultório e foi convidado para assistente da Faculdade de Coimbra. Alguns namoros, muitas festas, e vida de bon-vivant. O último namoro durou 5 anos tinha o Pedro 28 de idade. Um dia reúne os pais e diz-lhes: vou para padre jesuíta. Largou tudo e começou a sua preparação para o que tinha escolhido.

A Joana: uma belíssima arquitecta que acabado o seu curso é convidada para ir trabalhar num dos melhores atelliers na Holanda. Aí permanece 7 anos com o seu namorado. Entretanto trava conhecimento com uma ONG belga, deixa namorado, deixa a sua vida estável e segura na Holanda e parte para onde é preciso ajudar a construir ou reconstruir habitações. No seu curriculum conta o Dafur, o Sri Lanca, a faixa de Gaza entre outros. Agora ia partir para o Afeganistão para a capital.

Gente jovem que resolveu, a determinada altura das suas vidas, tomarem rumos radicais mas onde se sentem felizes!

São sempre convívios interessantes, com muitas histórias e peripécias para ouvir e donde vimos reconfortados!

sábado, 16 de julho de 2011

Uma boa semana

" É útil fazer propósitos se forem para cumprir! De promessas e palavras está o mundo cheio.

Três características definem um bom propósito: que seja pouco de cada vez, prático e possível de concretizar.

Pouco, Prático e Possível. As promessas costumam ser enormes, teóricas e irrealizáveis. Acabam todas no lixo."

Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

Tratar da saúde...

Quando a minha filha Rita esteve cá a passar uns dias vinha com uma dieta que ela queria fazer pois tinha engordado 1kg!

A dieta durava uma semana e eu pensei: vou acompanhá-la pois assim ajudamos uma à outra e eu na verdade, preciso de perder peso pois movimentando-me pouco ganhei uns bons 4 Kg., que em nada me ajudam na locomoção, na coluna e no meu ego.

As primeiras etapas é para depurar o organismo (dura cada etapa 2 dias). A 2º etapa é para estimular o metabolismo e a 3ª e última para manter uma dieta hipocalórica equilibrada.(1200 calorias por dia).

Basicamente é à base de muitas saladas e verduras, pouquíssima carne, peixe, arroz e batatas, mas massa e a fruta em batido ou sozinha ( fora das refeições e só 3 peças) e yogurtes magros.

A minha filha perdeu o kg, eu perdi 4cm de barriga mas ainda não me pesei apesar de me sentir mais leve.

Contudo comigo teve uma enorme vantagem. Depois do jantar não resistia a chocolates ou sobremesa e agora nem toco neles! É que nem me lembro. Como somos de hábitos e o nosso organismo se habitua a tudo! Eu julgava muito difícil acabar com esta gulodice. Se não comesse algo doce ficava enervadíssima!.

Não guardo segredo da dieta e quem for devorador de doces e quiser parar não há nada como tentar! Mal não faz!!!

quinta-feira, 14 de julho de 2011

O escrever...


Há dias que temos a cabeça vazia, sem saber o que escrever e outros que as ideias são tantas que se "atropelam" e nem sabemos por onde começar!

Hoje tenho esse vazio mas apetecia-me escrever. Eu adoro escrever! Deve ter sido da prática que obtive quando namorava com o Vabenne e eu estava em Luanda e ele em Lisboa a tirar arquitectura.

Estivemos 3 anos a escrever a cada um diariamente. Se faltava um dia ficavamos logo preocupados e por vezes eu, como menina mimada, zangada!

Não havia telemóveis, nem skype e telefonemas eram complicados. Portanto o único meio eram as cartas longas, escritas a caneta ou esferografica, e por vezes com um cheirinho a perfume!

Portanto foram anos neste vaivem de cartas só interrompido quando iamos de férias ter um com o outro.

O carteiro ou o contínuo do Pai quando as ia buscar à posta restante, entregavam-nas com um grande sorriso e diziam: Che minina tem muita letra do puto!

Os pais achavam um exagero, as manas gozavam e as amigas só diziam: uma carta todos os dias só de vocês os dois!!!

E esta hem? Sem saber o que escrever já contei como namoravamos à distância!

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Vida la vida!!!




Foi em Perugia (Itália) que vi o italiano mais bonito! Desciamos de teleférico e eu sentei-me ao seu lado. Ele levava uns auscultadores nos ouvidos, escrevia no seu telemóvel e mexia fernéticamente com as pernas.

Como Perugia é uma cidade de estudantes, pensei que tivesse feito algum exame e que lhe tivese corrido mal e por isso estivesse nervoso.

Pus-lhe a mão no joelho e perguntei-lhe se tinha algum problema.

Com um sorriso lindo olhou para mim com os seus inesquecíveis olhos azuis, respondeu-me:
- Não ando a seguir a digressão desta banda pela Europa.

Esta banda deu um concerto em Portugal. Terá vindo? Teria a sorte de o encontrar no meio daquela multidão? Penso que sim pois ele não passa despercebido!!!

domingo, 10 de julho de 2011

Uma boa semana

"Imaginemos que deixámos passar a ocasião de fazer bem a uma pessoa que entretanto, desapareceu ou morreu. "Tarde demais ", diríamos.

Mas nunca é tarde para nos arrependermos, não é tarde de mais para tirar a lição do que aconteceu e nos decidirmos a fazer o bem a outros ou à família daquela pessoa.

Como nunca é demasiado tarde para tomar consciência do que andamos a fazer no mundo."

Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Palavras...

Palavras! Há muitas maneiras de dizer a mesma coisa, dependendo da pessoa e dos seus hábitos. Tenho ouvido tantas palavras que definem ou tentam definir o mesmo que acho que irei fazer um dicionário!

Hoje, por exemplo, chove aqui. A minha empregada, à conversa comigo disse-me:

- Minha Sra. por vezes sabe bem ouvir a chuva a"cantar."

Achei esta palavra "cantar" uma maravilha pois na verdade quando ela caí forte ouve-se o seu murmurar batendo nas vidraças, no telhado, no chão do jardim.

Depois e também hoje veio a costureira. Perguntei-lhe:

- Sra. Lurdes veio de carro ou a pé?
- Vim a pé porque não havia problema. A chuva cai direitinha.

Direitinha! É verdade a chuva caia sem ser batida pelo vento, com uma direcção: na vertical!

Encantou-me estas duas palavras, que eu nunca as teria usado ou sequer pensado nelas, mas que definiram tão bem situações distintas.

Vou arranjar um bloco e apontar estas expressões a que não estou habituada mas que me põem a pensar e que no fundo não deixam de ser uma melodia para estes dias tristonhos!

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Com se escoa o tempo!

Como o tempo se esvai sem por vezes termos a noção que assim é!

Já fez 7 meses que o meu filho Afonso partiu e parece-me que foi ontem.

Já estamos em meados do ano e os projectos que eu tracei para me ajudar a mim própria, para que tudo se tornasse mais fácil e nem 1/3 executei.

Tenho a noção que vivo o dia a dia de uma maneira morna, sem grande convicção, sem grande prazer tirado de coisas pequenas, com pouco ânimo e assim o tempo se vai esvaindo.

Sei que tenho que mudar esta minha maneira de enfrentar cada dia a dia, pois sem dar por ela, vou envelhecendo por dentro e por fora. Tenho que voltar a obter a minha força anímica pois só assim conseguirei ajudar-me. Pode não ser fácil pois nada é como era dantes, mas isso não pode ser motivo para que deixe o tempo escoar. E o tempo não espera. As decisões têm que ser tomadas e postas em prática para que eu possa dizer com segurança: vivo e não sobrevivo.

Espero a ajuda do Senhor e juntos vamos voltar a fazer o caminho caminhando.

domingo, 3 de julho de 2011

Uma boa semana

"Parece um paradoxo e é uma grande verdade: duas pessoas só crescem em intimidade na medida em que respeitam a sua solidão e a solidão do outro.

A solidão é o espaço em que cada um se prepara para receber o outro e se dispõe a dar-se ao outro.

Sem solidão, a intimidade é invasão.


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

sábado, 2 de julho de 2011

A minha relação com a TV!


Outro dia resolvi ver até ao fim o programa "O último a sair", dado na RTP 1. Confesso que me senti estúpida desde o início mas queria saber onde aquilo iria parar em termos de humor.

Senti uma profunda pena pelo locutor, fazendo "charges" sem graça nenhuma para no fundo ganhar o seu ordenado.

Já coloquei este meu ponto de vista na minha página do F.B. e tenho tido comentários dos mais diversos mas o que mais me espanta é dizerem que é um tipo de humor muito na moda e avançado, pois serve para ridicularizar reality shows como este. Será?

Então sou muito limitada quanto ao humor e lamento que um canal de TV pública, na hora nobre e com os meus impostos, faça programas destes.

Digam-me de vossa justiça mas este programa ninguém me convence a ver novamente!

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Mais um orgulho de uma Mãe!

Obrigado meu querido filho pelo trabalho humanitário e comunitário que tem feito em Portela, Bragança, tirando tempo às suas horas de lazer.

É mais um orgulho de uma Mãe!

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Consumir " nosso"!!!

Nem acredito! Apanhei ontem a minha 1ª beterraba, linda como esta e 3 (!!!) feijões verdes, da minha mini horta.

A minha Fernanda ajudou-me a ter o prazer de a tirar da terra e a cortá-los da sua ramagem onde estavam bem escondidos. Deu para reportagem fotográfica do Vabenne que aguardo que transfira as fotografias para o meu computador.

Que agradável é colher o que a terra nos dá.

Sei que os agricultores que vivem disto têm imenso trabalho, e quantas vezes prejuízos enormes. Mas para uma minimíssima latifundiária como eu (!), dá um prazer enorme.

Fez-se uma salada com cenouras, azeitonas, espinafres bébé, mozarella e estes dois produtos ajudaram a completar a variedade.

Em tempo de crise, que aí virão, forte e e feio, já dá a beterraba para uma salada e os feijões verdes para peixinhos da horta para nós os dois.

Vabenne, acho que desta já nos "safemos"!!!

domingo, 26 de junho de 2011

Uma boa semana

"Há uma pergunta que me parece essencial: movo-me por prioridades ou por emergências? Isto é: ando a correr atrás de urgências, como tantas vezes nos acontece, ou sou capaz de parar e ver o que é prioritário ser feito?

Ser "bombeiro" é simpático,mas será esse o meu papel no mundo, aquela missão que a mais ninguém pertence?

Podemos ter que andar a pagar "fogos", mas que o imediato não encubra o essencial e que o contributo específico de cada um não se perca."


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

sábado, 25 de junho de 2011

A homenagem póstuma!

Podem chamar-me o que quiserem, mas não resisto de colocar aqui uma notícia que descobri nas minhas buscas na net por um acaso, é que é uma homenagem póstuma o meu filho Afonso.


Mobilidade Eléctrica

"No passado dia 16 de Dezembro, a professora Isabel Carvalho e a ex-aluna Ana Rita Martins, em representação do grupo Mobike Investigation Project (Ana Rita Martins, José Pedro Medeiros, Renato Barradas e Ana Filipa Simões), deslocaram-se ao Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel (CEIIA), na Maia, para receberem o “Prémio Mobilidade Eléctrica”. Este prémio foi atribuído em reconhecimento do trabalho desenvolvido pelo grupo, no âmbito da disciplina de Área de Projecto (2009-2010), na sequência da sua participação no concurso Desafio.E, realizado a nível nacional, promovido pela Inteli e inserido no projecto Mobi.E.

O Prémio Mobilidade Eléctrica foi entregue pela mão do Presidente da Inteli, Eng. José Rui Felizardo, e viu o seu nome alterado para Prémio Afonso Cameira (ex-Styling Manager do CEIIA), como forma de homenagear o Designer, recentemente falecido."

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Um bom feriado!!!

Hoje, com este dia de sol, veio mesmo a propósito para o feriado.

Contudo tem algumas desvantagens. Se se quer sair de casa andam os "pastelões" que vão dar a sua voltinha dos tristes, se se quer ir a uma esplanada estão cheias de pessoas e quantas delas de excursões barulhentas.

Eu, nestes dias não tenho por princípio o hábito de sair de casa.

Hoje então aguardo ansiosa que o Vabenne venha da sua "peregrinação" pelos Caminhos de Santiago onde foi de bicicleta com uns amigos!

Foram perto de 500Km a pedalar mas que o fazem relaxar imenso, apesar de por vezes o esforço físico ser grande. Vem contudo com saudades do seu conforto, da sua casa e principalmente da sua cama! No Caminho dormem em albergues humildes e as camas são muito simples somente com o seu próprio saco cama.

Também se nota o feriado nos blogs e no FB. Fica tudo em letargia!

O que vale é um bom livro ou um amigo que aparece para duas de treta!

quarta-feira, 22 de junho de 2011

A Minha Hortinha...


Parece que não sou a única! Tenho conhecimento de várias amigas que resolveram plantar a sua mini hortinha: ou de legumes, ou de plantas aromáticas ou ambas as coisas.

A minha chama-se a "horta da crise", mas a verdade é que num canteiro com mais ou menos 4metros, estão lá: tomates, feijão verde, alface, alho francês, beterraba e couve flor! E agora, e ainda em vasos, tenho as ervas aromáticas.

O Vabenne, de início achou muita graça à esperança que eu punha naquele "niquito" de terra, mas agora já se admira como os tomates estão a crescer tendo as estacas que ser maiores, as beterrabas a despontar da terra com a sua farta rama, etc, etc, etc.

É algo também de terapêutico sentir o cheiro da terra molhada, olhar e ver as maravilhas que a natureza produz, mexer na terra, tirar as folhas daninhas e de início tomar atenção aos passarinhos e agora aos caracoís.

Quem puder faça a sua mini horta: ou de plantas aromáticas para chás e culinária ou de legumes escolhendo vasos altos e legumes pouco volumosos: tomates cherry, couves de bruxelas, cenouras bebe, e tantos outros. Até fruta!

É verdade! Para o ano, se Deus quiser, irei virar-me para a fruta!

P.S. Quando tiver fotografias vou colocá-las aqui.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Yoga do Riso!


Tenho necessidade e vontade de dar uma boa gargalhada, de me rir até às lágrimas, situação que eu fazia com tanta frequência, chegando mesmo e muitas vezes, a me rir de mim própria.

Sorrio-me mas sabe-me a pouco. Não liberto as tais substâncias (endorfinas) que actuam no cérebro, dando prazer e melhoria substancial ao estado físico.

Nem o mais cómico filme, nem a mais hilariante situação nem a mais burlesca cena tinham algum efeito.

Faz-me falta e isso eu sinto tanto como quase comer, beber ou fumar!.

Outro dia vi anunciado um workshop " Yoga do riso". Sei que é um movimento que começou na Índia e que se tem alastrado pelo mundo, com muitos bons resultados e cada vez com maior número de adeptos.

Devo confessar que, se ia curiosa, perguntei-me muitas vezes: valerá a pena? Não será uma chachada? Entrei na sala com um grande ponto de interrogação e céptica...

Estive uma hora rindo à gargalhada, libertei toxinas e vim mais leve para casa! O que fiz ou o que fizemos?

Vão assistir a uma sessão "Yoga do riso". Ah,Ah,Ah,Ah,Ah,Ah!!!

domingo, 19 de junho de 2011

Uma boa semana

" "Apanhar por tabela!" Esta expressão é interessante e faz pensar. Há sempre secundários, e quando tomamos remédios queremos saber quais são. Mas na vida, com o que dizemos e fazemos, podemos esquecer os efeitos negativos que isso possa ter em terceiros.

Há muito sofrimento por coisas com que não se teve nada a ver, mas de que, por tabela, se foi vítima. Na família, no emprego, na sociedade há muita gente a apanhar por tabela."


Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Que pena que eu tenho!


Também tive muito tempo sem escrever no meu cantinho, neste blog,
onde tanto gosto de receber os amigos.

Julgo que tive razões muito fortes para isso e terei a desculpa de todos.

Contudo, fui-me habituando a ter um grupo pequeno de bloggeiros que escolhi pois gostava muito de os ler: uns porque escreviam muito bem ( ex: ares da minha graça), outros porque traziam sempre uma mensagem positiva (ex. cantinho da luzia), outros porque me divertiam bastante os seus posts (ex:desconversa), etc, etc, etc.

Vejo, com muita pena, que já há muito tempo não escrevem: terão emigrado?, terão tirado uma longa licença sabática?, terão mesmo desistido?.

Por favor, quem souber informe-me para eu me ir habituando à ideia de que provavelmente não voltarão a escrever!

Que pena!

terça-feira, 14 de junho de 2011

36 ANOS DE CASADOS!

"-Para a saúde e para a doença; para a alegria e para a tristeza".

"Éramos jovens quando ouvimos esta frase, mas nenhum de nós a esqueceu. Atravessamos mares e continentes, vivemos altos e baixos, amparamo-nos e criticamo-nos quando necessário, choramos e rimos juntos, cedemos quando era altura e fincamos pé quando foi necessário. Vivemos épocas desafogadas e unimo-nos em alturas criticas. Fizemos loucuras e actuamos em momentos muito sérios. Juntos criamos 3 filhos,fizemos a nossa casa, plantamos as nossas árvores e estamos agora a escrever a nossa história!

E pensar que tudo terá começado , não por uma coincidência mas por um sinal, quando fizemos a viagem de vários dias no Infante D. Henrique, de Angola para Lisboa. Ficamos vários meses a viver no Porto. Contudo nesse período, cada um seguiu o seu caminho e nem sequer uma vez nos cruzamos. Ao ter que regressar novamente a África, desta vez no Príncipe Perfeito, encontramo-nos no deck do barco! Eu desembarquei em Luanda e tu seguiste para o Lobito. Tínhamos iniciado uma amizade que algum tempo depois (nessa altura o tempo era tempo) acabou em namoro."

Escrevi isto à um ano e hoje que fazemos 36 de casados, acho que pouco tenho para acrescentar: o namoro deu origem a um grande respeito, cumplicidade e amizade.

Para mim, e depois destes anos todos, a maior infelicidade que me poderias dar seria partires antes de mim.

domingo, 12 de junho de 2011

UMA BOA SEMANA

"O saber e o sabor. Hoje estou mais atento ao "sabor das coisas" do que a "saber coisas".

É que há muita gente que não sabe qual é o sabor da vida simples e desprendida, de um encontro pacífico e não interesseiro, de um momento de verdade...

É talvez mais importante saborear a vida do que saber da vida."


P. Vasco Pinto de Magalhaes,.j.s

sábado, 11 de junho de 2011

OBRIGADO LAURA!


Não posso deixar de fazer isto.

Nos blogues, houve uma altura que se davam selos pelo mérito dos mesmos.

Como tenho andada arredada deste "mundo", não sei se ainda é hábito.

Contudo para mim ainda é hábito ficar grata pelo apoio e amizade que me dão e por isso a razão deste selo ou prémio.

Não escrevia aqui no meu espaço mas reparei que a minha querida amiga LAURA, me deixava sempre um comentário e por vezes vários, dando-me coragem, animo, esperança e força para voltar a enfrentar a vida no seu dia a dia.

Nunca desistiu apesar de eu não responder aos seus comentários. Por tudo isso, é do fundo do coração e com a máxima gratidão que lhe agradeço.

Bem haja minha querida!

UM MENINO-HOMEM RUI!

Conheci-o por um acaso. Na pastelaria onde ia sempre tomar o meu café e sentada na esplanada, via-o na sua figura miúda, com a farda da Câmara, com o seu carrinho verde e várias vassouras e pás, apanhando papeis, folhas das árvores, restos de detritos e beatas de cigarros.

Comecei a dar-lhe os bons dias, e através dos seus óculos de lentes, gargalo de garrafa, respondia-me com um sorriso tão contente que dava para notar aqueles olhos sorriem. Soube, mais tarde, que no seu longo perímetro de trabalho, eu era a única que lhe desejava um "bom dia", apesar de passar por centenas de pessoas, na maioria diariamente.

Começou por parar naquele local (onde eu ia todos os dias), para beber da garrafa que trazia, o seu golo de água e darmos dois dedos de conversa: ele timidamente fazia-me perguntas e eu, mais afoita tentava saber coisas concretas da sua vida. Demorava no máximo 5 minutos e despedia-se com um pedido de desculpas mas, "sabe minha sra. a Câmara está a pagar-me"!

Nunca se queixou da sua vida nem nunca me contou a sua história. Soube-a por um acaso.

Um dia, estava a sair da clínica onde trabalho pois uma amiga ia-me buscar, e vi o Rui, na sua bicicleta. Parou com uns travões manhosos e desde o farolim ao para lamas tudo tremeu devido à rapidez da travagem. Os seus olhos ainda sorriram mais por me ver longe do sítio onde nos encontrávamos e por achar, concerteza, ser o destino o fazedor daquele encontro!

Conversamos um pouco mais pois a minha amiga chegou e à despedida disse-me: que bom já sei mais um sitio onde posso, se possível, encontrar a sra!

No carro a minha amiga perguntou-me se eu sabia com quem estava a falar. Contei-lhe como tínhamos começado as nossas curtas conversas e que se chamava Rui. Mais nada.

Aí soube um pouco da sua história. Era órfão e viveu na Casa dos Rapazes. Aos 21 anos teve que sair e fazer-se à vida. Encontrou um emprego de limpador num circo em Ponte de Lima. Não lhe pagavam nada do combinado e nem podia sair. Viveu uns anos sequestrado em condições miseráveis e foi um amigo dele, surdo-mudo, também da Casa dos Rapazes que o descobriu denunciando por escrito o caso à Polícia de Viana que o foi buscar. O caso tinha sido notícia no canal da TVI.

Pela sua maneira de ser, via-se que não era um menino-homem desgostoso com a vida mas feliz com a oportunidade que a mesma lhe tinha proporcionado.

Ainda há pessoas destas, graças a Deus!!!

quarta-feira, 8 de junho de 2011

BLOG VS FACEBOOK

Acho que vou fazer como a minha filhota: recomeçar a escrever aqui. Por vezes é-me difícl encontrar tema mas no final dá-me mais satisfação pois tenho que pôr a cabeça a pensar em assuntos diferentes daqueles que agora me assolam com tanta frequência à ideia.

Nem que sejam só meia dúzia de linhas mas o prazer é maior que o facebook. Este faz-me lembrar uma barraca da feira popular onde escrevemos algo, obtemos quase em simultanêo resposta e não saimos daquilo: é o facilitismo imediato.

Este espaço é mais personalizado, mais humanizado, mais pessoal.

Vou voltar a vir aqui nem que não seja com a frequência de antigamente mas vou voltar.

Para falar da minha dôr, do meu filho, deste processo que já vai no 6 mês, criei um espaço e aí sim exponho a minha mágoa, as minhas saudades.

Como disse uma vez: BLOGO LOGO EXISTO!!! E eu tenho que sair deste casúlo em que estou...

domingo, 22 de maio de 2011

UMA BOA SEMANA

"Só sabe dizer "sim" quem souber dizer "não". É tão difícil dizer "sim" quando deve ser e "não" quando tem de ser, tantas vezes contra tudo e contra todos.

Mas seria isso que faria a diferença. E seria o mais benéfico para o mundo.

A verdade não vai por maiorias. São os interesses,a imagem, as pressões que nos deixam sem liberdade.

Não fico sózinho se ficar com a verdade".


P. Vasco Pinto de Magalhães, s.j
.

sábado, 21 de maio de 2011

MUITOS PARABÉNS MÃE!

Hoje fazia anos Mãe. 76 anos. Imagino como seria e só posso imaginar uma senhora de figura frágil ( mas tão forte de princípios e força de vontade), sempre bonita, com o seu ar e sorriso bondoso e com os seus cabelos prateados ou de um loiro muito suave.

Tenho muitas saudades da sua presença, dos seus conselhos, das suas palavras sinceras e tão amigas.

Mas sei Mãe que está melhor onde se encontra: está acompanhando todos os que lhe são queridos e a todos dá um sinal de coragem, de alegria, de conforto. Disso não tenho dúvidas!

Como aguentaria aqui a perda do seu neto quando eu sei que estiveram e estão juntos? Como aguentaria ver a minha dôr aqui, quando eu sinto as suas palavras de consolo tão fortes e animadoras que me diz?

Está melhor onde está Mãe e eu fico feliz por isso. Hoje mais do que nunca, hoje com mais certeza do que julguei ter.

Muitos parabéns querida Mãe!!!

terça-feira, 17 de maio de 2011

LUA DE MEL - 6ª PARTE E FINAL!!!

Tenho que acabar este capítulo da minha vida pois senão é uma vergonha! Começei a escrever ainda o ano passado e em meados de Maio ainda não terminei. Podia quase fazer um blog só com esta lua de mel, pois os episódios foram tantas, as sitações a que me expus tão variadas as emoções tão fortes que teria tema...!

Se conseguir claro, hoje termino pois vou resumir somente às funções que exerci, e não aos momentos e às emoções que os rodearam! Há alturas, contudo, que o coração fala mais alto!

Depois de trabalhar dos D Amou, fui apanhar cebolas. Trabalho muito duro fisicamente pois apanhava a hora do sol a pique, com um enorme campo à minha frente e sempre de cócoras. Era eu e 11 marroquinos. Faziamos uma pausa para fumar o nosso cigarrito e eles espantados com o trabalho rude só me diziam: vá para a nossa terra que nós, sendo pobres, não deixamos as nossas mulheres trabalhar assim. O único momento discontraido era quando tinhamos que limpar as cebolas: iamos para o armazem onde elas eram guardadas e, no fresco e sentados numa pilha enorme, tiravamos as cascas velhas às ditas. Dava para horas de paleio e troca de modos de vida!

Depois fui fazer as vindimas e o grupo era engraçado e alegre: tudo cantava e contava anedotas. Comi uvas até que me fartei. Juntavamo-nos todos ao almoço debaixo de um alpendre e eu só chegava a casa (castelo) depois das 5.00 na minha bicicleta. Ia feliz e contente por aqueles campos pois regressava ao lar onde tinha o Vabenne à minha espera cheio de saudades!

Eu não sabia o que era machismo naquela altura e nem me interessava: enquanto o Vabenne o Wagner, depois de um banho reparador ( eles tinham outros trabalhos agricolas com o D Amou) sentavam-se cá fora a tomar um aperitvo eu preparava o jantar ou passava a ferro feliz que nem a carochinha da história...!

Os serões eram passados na cavaqueira, mas deitavamo-nos cedo pois no outro dia madrugavamos.

Depois juntamo-nos os três na apanha da alface e encaixotamento das mesmas para o mercado abastecedor. Aí aprendi que se compra com os olhos e por isso fomos "industrializados" para colocar as melhores e mais viçosas por cima!

Estavamos em Outubro/Novembro e o frio era muito. Deixei várias vezes de sentir as mãos porque as alfaces estavam molhadas e tinha que bater com as mãos nas costas com muita força para elas "acordarem". Cruzavamo-las à frente e batiamos nas omoplatas!!! Começavamos a tirar a roupa(era às camadas) só para o fim da manhã. O nosso chefe e patrão aparecia logo ao início da jornada de calções e manga curta. Julgo que beberia aguardente não?!!!.

Depois fui convidada para ser baby sister a tempo inteiro da filhota de um empresário de uma fábrica. Começava a subir na carreira.

Aí surgiu uma convocatória para o Vabenne regressar a Portugal senão seria considerado desertor. Imagine-se Portugal em 75 em que a tropa era uma rebaldaria e todos eram dispensados. Passamos noites a ponderar o assunto e o Vabenne decidiu que era melhor voltar do que ter que passar a fronteira a "salto" sempre que quizessemos vir a Portugal.

E regressamos! Partimos duma madrugada no nosso 2 cavalos, arriscando a atravesar os Pirineus cheios de neve, num carro velho e sem correntes. Ao abrirmos a porta e estando o Wagner levantado para se despedir, estava afixada na mesma uma fotografia do Pinochet dizendo: procura-se vivo o morto. A nossa promessa tinha sido cumprida!!!

Foi uma lua de mel que nos uniu muito no sacrifício, no companheirismo na amizade que perdurou e perdura!

domingo, 15 de maio de 2011

UMA BOA SEMANA

"Só uma profunda vida interior e uma visão adequada do mundo podem sustentar a esperança para além de qualquer crise. E neste mundo há crises e não podem deixar de existir dada a nossa vulnerabilidade e as dificuldades, mais ou menos grandes próprias da vida.

É um engano pensar num mundo sem luta. Ao deitar fora a oração, ao desistir do esforço, ao nivelar por baixo e sem exigência, ficamos prisioneiros das dificuldades e sem saída."


P.Vasco Pinto de Magallhães, s.j.

sábado, 14 de maio de 2011

COMO SOU FRÁGIL!!!

Como frágil eu sou! Julgava que as forças, até à pouco tempo, me davam para enfrentar as contrariedades, os obstáculos e as dificuldades que a vida, no seu dia a dia me ia colocando no caminho.

Mas não. Compreendi que para certos casos é preciso uma força estoíca e ela não existe dentro de mim.

Tento avançar dando dois passos para a frente mas logo a seguir recuei cinco. Fiquei pior do que estava e mentalizo-me que assim não atinjo os meus objectivos.

Paro, ganho folgo, trabalho esta cabeçinha e lá vou eu avançar uns seis passos. Fico contente pois já consegui mais que anteriormente. Mantenho-me assim mas uma recordação, um cheiro,uma frase e lá etou eu a ir para trás.

Parece um vira, ou qualquer outra dança, mas torna-se muito cansativa e frustrante.

Neste silêncio longo que aqui fiz, resultou uma conclusão que espero prosseguir, tanto na escrita, como no meu ia a dia: ando o que puder. Nem demais nem de menos mas nas medida das minhas possibilidades.

Que os meus amigos deste bairro blogueiro me compreendam e que eu volte a reatar as nossas
conversas, as nossas histórias, os nossos assuntos, que tanta falta me fazem!

sábado, 2 de abril de 2011

LUA DE MEL - 5ª PARTE

Estivemos 3 dias em casa dos Monpesant, depois da saída turbulenta do restaurante Darrouse. Eles eram amigos de um casal de agricultores e falaram em nós. Por sorte, foi o 1º ano que os D Amou aceitaram estrangeiros para a apanha de pêssegos na sua grande propriedade! Fomos apresentados e ficamos. Dormimos, inicialmente no andar inferior onde havia um quarto e casa de banho.

Na verdade, trabalhar em restaurantes ou apanhar fruta não era propriamente a nossa profissão e rapidamente tornamo-nos amigos passando a ser convidados para refeições e serões no seio da família, constituída pelo casal e 4 filhos.

Nunca comi pêssegos tão bons como em Ville mur sur Tarne. Depois de acabada a apanha dos mesmos, fomos fazer a das maças continuando nós e um chileno, o Wagner, do grupo de estrangeiros.

Os D Amou tinham outra propriedade arrendada a um casal de italianos, os Rinna, com um pequeno castelo que só metade era ocupada pela família. Nós com o Wagner fomos para a outra parte, totalmente independente. Ainda estou a vê-lo à minha frente! Uma sala grande comum com lareira, e uma cozinha. Num canto arrancava umas escadarias em semi-circulo que dava para 3 quartos e casa de banho. Todos os quartos tinham uma lareira a ocupar uma das paredes.

Fui logo apanhar flores no campo que se espairava à frente para fazer as jarras, pus na mesa rectangular e comprida um cesto com frutas que o Vabenne tinha comprado no mini mercado, abri as janelas para a arejar. Havia lençois, toalhas, colchas, sofás, cadeiras, utensílios de cozinha, enfim tudo para, depois de dar o meu jeito, se tornar num "lar doce lar". Como meio de transporte tinhamos o nosso 2 cavalos, o "Pampas" e emprestaram-nos bicicletas.

Recebemos os Rinna que nos vieram dar as boas vindas e colocarem-se à disposição e eu senti, sentada tão feliz num sofá, que ira iniciar as minhas funções de dona de casa de uma maneira sumptuosa, para quem andava de mochila e a dormir, confinada a um quarto!

Que tempos inesquecíveis que passamos aqui. Mesmo depois de terminado o trabalho dos D Amou, fomos convidados por outros agricultores amigos para outros trabalhos, mas continuamos a habitar o castelo.

Durante a semana saiamos cedo e de bicicleta iamos os três para os trabalhos agrícolas e vinhamos almoçar a casa sempre com o tempo contado. Regressávamos por volta das 5,00h. Envergava as saias compridas, punha um chapeu de abas largas e dava caminhadas que me enchiam de paz, a observar os pássaros, as plantas e s flores campestres. Por vezes ia até aos Rinna ver a fazer massa fresca ou a colher os ovos ou a passar a revista à horta que tinham, comendo pelo percurso um belo tomate ou mastigando umas ervas aromáticas!

Depois de um vigoroso banho fazia o jantar para os 3 e terminado o mesmo, ficavamos na cavaqueira, sempre com velas acessas e fumando os nossos cigarros Gitannes!!!

Eu e o Vabenne encontravamo-nos lá devido a uma revolução que tomava contornos políticos direccionado para o comunismo e o Wagner era Secretário de Estado da Agricultura do Allende, tinha sido preso na altura do Pinochet e tinha fugido com a ajuda da Igreja Católica. Era um socialista ferrenho. Fizemos um pacto: não falar de política.

Por hoje termino aqui e juro que o próximo capítulo será o final desta atribulada mas maravilhosa lua de mel!

sexta-feira, 1 de abril de 2011

LUA DE MEL - 4ª PARTE

Em Novembro, terminei a 3ª parte da minha lua de mel. Penso que será bom pegar novamente na "gaveta" da memória onde ela está bem guardada, e terminar pois senão fica este tempo da minha vida sem conclusão.

Esta foi a minha 1ª lua de mel, pois no decorrer de 36 anos de casada, tive a felicidade de ter outras (mas sempre com o mesmo marido!) Na verdade a 1ª é a marcante!

No restaurante fazia um pouco de tudo: lavava as casas de banho, engraxava os sapatos da família Darrouse, limpava o bar e servia à mesa. E é verdade: tinha que andar a fugir do filho Darrouse pois julgava-se D. Juan. O Vabenne lavava os apetrechos utilizados na cozinha e todos os utensílios das mesas do restaurante.

O dia a dia não era fácil, mas como jovem e a fazer algo que nunca tinha feito, levava tudo na desportiva.Havia mais 4 empregados para servir e outros 2 a ajudar na cozinha. Tínhamos uma convivência agradável e cúmplice entre todos. Claro que servi gente interessante, outra importante e outra fútil a qual tive se recusar muitos convites para sair depois do serviço...O Vabenne passava os dias e noites na cozinha pois a loiça era muita e caiu-lhe umas 5 vezes a pele das mãos devido aos detergentes e água quente.

O nosso dia de folga era à segunda-feira e como tínhamos comprado ao jardineiro do restaurante um 2 cavalos com 14 anos, aproveitávamos para conhecer os arredores e almoçavamos baguettes com diversos queijos, fois grais, fruta e bom vinho. Sabia-nos pela vida!

Como estávamos ainda ilegais, postos por um funcionário do serviço de emprego e sabendo
que não podíamos fazer queixa, ao fim do mês não nos pagavam o combinado. O Vabenne aguentou isto 2 meses e saímos.

Regressamos a casa dos nossos amigos Monpesant.

P.S. Continua mas estou a ver que tenho que abreviar!!!

quarta-feira, 30 de março de 2011

ATÉ JÁ!!!

Penso que chegou o momento certo de me decidir a reiniciar a escrever, pois aguardei pacientemente que tudo o que me aconteceu no início do fim do ano fosse "digerido" sem revolta, apesar da imensa dor e saudade que me causa.

O nosso controle,por vezes foge-nos e ainda tenho muitos momentos que sinto as lágrimas a correrem-me pela cara, seja na rua, em casa ou no trabalho. E para as controlar tenho que fazer um grande esforço para parar: por vezes são coisas simples como um bonito dia, a magnólia toda branca no Inverno, uma música, ou alguma palavra. Outras vezes se estou sozinha, "solta-me" as recordações do Afonso e aí as lágrimas esgotam-se.

Contudo, aos poucos tento encontrar a tranquilidade e a paz, que me fazem encarar o dia a dia, através de "defesas": escrevendo na pagina dele do FB, a qual os amigos pediram para a deixar aberta, nas boas lembranças que me traz uma vida vivida em pleno, cheio de alegria, energia, amizades e também estou a delinear um blogue mais pessoal.

Faz-me bem falar do Afonso e é isso que eu tenho que fazer para viver o luto.

Sinto que deixei, mais do que dantes, de fazer projectos, dos momentos em família não serem tão felizes, do dia a dia me passar um pouco ao lado sem a mesma intensidade, alegria e humor. Sinto que, se uma parte de mim ficou, outra partiu.

Mas vou batalhando para aproveitar bem o marido e filhos, o meu, cada vez mais encantador neto (!) e os amigos. Amigos esses que tem sido incansáveis e deste mundo blogueiro, a minha querida Laura. Longe acompanhou-me sempre com as suas mensagens de encorajamento. Bem haja minha querida.

Assim, e sempre que puder, vou marcar aqui presença. Até já!

domingo, 20 de fevereiro de 2011

UMA BOA SEMANA

"Em tempo de desolação não se fazem mudanças. É um antigo princípio de sabedoria que se pode traduzir assim: quando andas em baixo, não faças opções.

Sim então não se tem luz nem discernimento para o fazer.

Espera pacientemente, clarifica-te, que chegará o momento certo da decisão."


P. Vasco Pinto de Magalhães

UPAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!



Tenho que "desfazer" as amarras que quase não me deixam aperceber que os dias passam, tenho que deixar de mentir a mim mesma que o Afonso foi fazer uma viagem demorada, até à Austrália a ver se o negócio dos frangos dará para a Mãe,tenho enfim que enfrentar a realidade e viver o luto, com todas as suas etapas, pois não sou a única que passa por esta dor sem nome e esta saudade sem fim.

Se conseguiram resistir eu também irei lutar para isso!

Quero voltar a estar com os meus amigos, falar de coisas sérias ou banais, viver a minha vida com os seus altos e baixos. Desbloquear, enfrentar, reagir.

Uma amiga minha, que viveu o mesmo que eu, criou este video no YouTube "Até breve Afonso" que adoptei como minha oração e ensinou-me a dar o grito de coragem quando me for abaixo: UPAAAAAAAAAAAAA!!!

Com estas duas coisas e os apoios que não me têm faltado, irei sobreviver a este embate da vida!!!

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

SERVIÇO 118 - ROUBO DESCARADO!


Sendo cliente da concorrência, não tenho direito a lista telefónica da PT.

Assim,quando preciso de saber um número toca a ligar o 118.

Aparece sempre a mesma gravação, já programada para demorar um certo tempo:
-Diga se é instituição ou empresa.
............................................................
-Nome da mesma.
............................................................
-Localidade da mesma.
............................................................
Percebi:
- Empresa X em Y
............................................................
Se estiver correcto marque 1
.......................................................................................................................................................
Empresa X em Y existe. Tome nota do número.
.......................................................................................................................................................
Empresa X em Y: um momento que vamos passar a um operador. Obrigado.
.......................................................................................................................................................
Bom dia fala a Sicrana. Qual o número de telefone que pretende?
.......................................................................................................................................................
Disse empresa X na localidade Y?
.......................................................................................................................................................
Lamentamos informar mas não temos registo da empresa nessa localidade.
........................................................................................................................................................
Deseja mais alguma coisa em que poderei ser útil?
........................................................................................................................................................

Estas chamadas não são grátis! Pagamos e bem.
O que mais falta para estes assaltos aos nossos bolsos? Andar tudo de pistola e praticar os roubos à descarada?
Detesto que me façam passar por lorpa...

*os pontos(.....) são as pausas em que ficamos pendurados ao telefone e quando termina durou
uns largos minutos e a orelha ferve!

domingo, 30 de janeiro de 2011

UMA BOA SEMANA

"Ouvir e escutar não é a mesma coisa. Ouvir dirige-se ao exterior, é mais ou menos superficial e efémero. Escutar é por dentro, é captar o significado profundo das palavras, dos gestos e dos silêncios, é aprender as razões, as intenções e os segredos do coração.

Aliás, só com o coração conseguimos escutar bem. Às vezes, ouvimos muitos ruídos, mas não escutamos nada; outras vezes, escutamos aquilo que não se ouve..."

P.Vasco Pinto de Magalhães,s.j.

sábado, 29 de janeiro de 2011

SEPARAR "AGUAS"....


Tem-me sido complicado separar as "águas". Se aqui venho, e eu gosto de escrever, ainda não consegui fazê-lo, sem que algum post não me leve à tentação de falar do Afonso.

Acho que não é correcto, pois mesmo para minha ajuda,
e também para os que me possam visitar, eu terei, outros temas passados que podem distrair-me e serem "leves" para os amigos.

No FB, onde tenho uma página e também o meu filho aberta, pois os irmãos e amigos pediram, surgiu-me a ideia de criar um blogue só dedicado ao Afonso.

Assim poderei, escrever o que me recordo, o que guardo para sempre na memória, como as suas peripécias, diversões, sucessos e fracassos.

Derramarei aí todas as minhas lágrimas, toda a minha dor com a sua partida mas também, toda a alegria e felicidade que ele me proporcionou.

Acho que será uma boa ideia e que muito me irá ajudar. Depois decidirei se será aberto, permitido só aos mais próximos ou somente para mim...