Seguidores

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

LUA DE MEL - 1ª PARTE.

No meu tempo o casamento era um momento importante mas a lua de mel era algo que se sonhava como uns dias inesquecíveis para toda a vida

A minha foi e posso dizer que nunca me apercebi quando ela acabou! Foram aventuras atrás de aventuras, coisas que nunca tinha vivido nem sonhado.

Uniu-me muito ao Vabenne e penso que iniciou-me e ajudou-me, mais tarde, a tornar-me uma verdadeira"trailer"!

Depois de uma pequena volta pelo norte do pais, que incluiu Coimbra, Figueira da Foz (onde me esqueci da camisa de noite no Grande Hotel - também nunca percebi porque é preciso tanto cuidado na sua escolha ), Óbidos, Porto, Viana do Castelo e Valença (nunca me esquecerei da sensação de liberdade que senti em Valença do Minho, quando olhei para Espanha...) regressamos a Carcavelos após uma paragem em Braga. Resolvemos convidar o P.Roque Cabral, que nos tinha casado, para almoçar connosco.

Pedimos uma sugestão e fomos para o Hotel do Bom Jesus. Reparei que o Vabenne estava muito corado durante o almoço e só soube o motivo quando estivemos sozinhos: a conta tinha sido tal que pouco nos restava para a gasolina de regresso. Portanto toca a desligar o motor nas descidas...

Mas lá chegamos (onde tinha a camisa de noite à minha espera, gentilmente enviada pelo hotel...).

Tínhamos que preparar as mochilas pois passados 2 dias iríamos de comboio para Toulouse. Preparar uma mochila para cada um, com a roupa e acessórios indispensáveis para um tempo indeterminado não é fácil. O pior foi guardar o dinheiro. Não tínhamos muito mas naquela altura, cada pessoa, não podia sair para o estrangeiro com mais de 20 contos!

As voltas que demos à cabeça até que nos surgiu uma: nos varões das mochilas! Tinham uma borracha na ponta e toca de enrolar as notas e mete-las lá para dentro. Não me lembro onde foram o conjunto de panelas, os talheres pratos e copos, o camping gás, a tenda e os sacos cama!

E lá partimos para França, carregados que nem uns labregos, mas também com a cabeça cheia de projectos e sonhos!

Hoje partem de avião para as Filipinas, Maldivas, Bali, Turquia, Grécia, Brasil etc, etc, etc. Tudo incluído, do melhor e sem esforço.

Bom mas a minha não acabou...

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

É SÓ MAIS UMA...

É só mais uma a acrescentar a tantas que já se fizeram e a muitas que irão acontecer...

A Rita parte ou chega sempre, "carregando" o seu coração.

Porque o Filippo não pode vir ou partiu primeiro, devido aos compromissos no gabinete, ou porque chegou a hora de deixar a sua família e regressar a Itália.

Sofremos as duas e mesmo estando habituadas às chegadas e partidas, não conseguimos "segurar" a lágrima que torna tudo mais difícil.

Julgo que quando ela constituir a sua família ser-lhe-à mais fácil mas...e para mim?

Vi sempre a minha Mãe esconder uma lágrima quando eu partia com o Vabenne e filhotes ... e eu? Eu não aguentava e elas corriam-me pela cara...

Porquê? Porque nada substitui a relação de uma mãe com a sua filha e vice versa!!!

domingo, 26 de setembro de 2010

UMA BOA SEMANA

"A fortaleza. Faz-nos imensa falta para superar os medos, os cansaços, para saber viver com as próprias fragilidades sem desanimar e com as fragilidades do mundo sem violência nem cinismo.

A fortaleza é um dom que permite perdoar e recomeçar sempre.

Só os fracos se vingam e mentem. Os fortes estão bem com a verdade, mesmo que traga sofrimento."


P. Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

sábado, 25 de setembro de 2010

NÃO CHORO PORQUE ESTÁ A TERMINAR...FICO FELIZ PORQUE ACONTECEU!



Está a terminar o mês de Setembro!

Foi o mês do reencontro do núcleo duro da família e dos projectos para mais uma célula familiar Cameira-Conti.

Razão tinha o meu Pai que quando eu estava à espera do meu primeiro filhote segredar-me para ele nascer em Espanha e assim ficava com o meu apelido no fim. (Cameiras são mais que os japoneses!).

Ontem estive também com a Sara, João, Vasquota e Afonso.

Estes reencontros servem sempre para sentir os laços cada vez mais fortes, apesar de estarmos cada um em sítios diferentes, e saber que é essa força que torna a família unida e feliz: unida e feliz nos bons momentos mas também nos mais complicados pois forma-se uma barreira compacta entre todos.

Outro Setembro voltará e até lá, só peço a Deus, que a todos proteja!


sexta-feira, 24 de setembro de 2010

APROXIMA-SE O FIM DE SEMANA!


"Nunca pensei que a partir dos 50 pudéssemos ter uma riqueza tão grande!!!
Prata nos cabelos. Ouro nos dentes. Pedras nos rins. Açúcar no sangue.
Chumbo nos pés. Ferro nas articulações.. Catarata nos olhos, E uma fonte inesgotável de gás natural..."

JÁ TINHA DITO: ADORO SETEMBRO!!!







Adoro Setembro por muito e variados motivos!

Tenho mil e umas razões!

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

MAIS UM ANO. PARABÉNS SARA E JOÃO!!!




Estava e foi um dia lindo. Inesquecível!!!
Quando oiço esta música, que vocês chamam de vossa, sinto algo que não esquecerei:

- A felicidade de uma Mãe levar o seu filho ao altar e sentir dois corações baterem acelerado quando a noiva surge à porta da Igreja.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

HOJE É PARA O VASQUOTA!!!





Um ano meu querido! Como o tempo passou a correr e como agora também a correr se vê os progressos que faz!

Cada vez mais simpático, cada vez mais expressivo, cada vez mais atento a tudo. Se no outro dia que estivemos juntos muito "falamos" agora e dentro em breve, quando nos voltarmos a reunir, o "paleio" vai ser maior!

A Avó, sentada à sua frente, vai cantando, fazendo caretas, fazendo exercícios para estimular as expressões, e meu "estrunfe" delirando, palrando, rindo, imitando.

E os nossos momentos de ternura? A Avó tem imensa dificuldade em se controlar: apetece-lhe trincá-lo, apertar-lhe as bochechas, e cobri-lo com beijinhos. E as do Vasquota? Sei que tem ataques de nervos pois não consegue ainda apertar a Avó, mas fica radiante quando me apanha os dedos ou encosta a sua cara e me apanha o nariz: aí dá-me umas trinquinhas apetitosas com os seus 4 dentinhos (entretanto já tem mais um)!

Também tem outras características que deixam esta Avó louca de alegria: adora a aventura, pouco ou nada lhe mete medo e adora experiências. Basta vê-lo na piscina chapinhando na água, na bicicleta de capacete (!) quando vai dar passeios ou na descoberta de qualquer pormenor, por menos visível que seja, em algum brinquedo!

Se a Avó tem muitas saudades dos seus Pais e Tios quando estão longe, de si, digo bem alto: tenho o dobro!!!

Muitos parabéns meu querido Vasco.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

20 DE SETEMBRO


20 DE SETEMBRO DE 2008

Passamos os teus dias de anos juntas! Sempre tenho o habito de escrever umas palavras mas desta vez não o fiz na altura porque, como te disse, estar ali a teu lado, conhecer a tua "2ª família", deixou-me com vontade enorme de chorar...de alegria. Vi com os olhos próprios de uma Mãe que estavas tão feliz e tão bem entregue!

Claro que esse mês lindo de Setembro e esse ano de 1981 (ano de "óptima colheita") é muito especial para mim. Nasceste linda e assim continuas em todos os aspectos. Também tu tinhas tanta vontade de viver em pleno a vida que surgia à tua frente, que nem deste tempo à tua Mãe de tirar o vestido!!!

Continuas a dar provas que amas a vida, que procuras sempre ser e fazer melhor e que és um exemplo e orgulho para aqueles que têm o privilégio de lidar contigo.

20 de SETEMBRO 2009

Queria ter escrito no dia 20 porque foram os anos da Rita. Como eu gosto, houve muito movimento em casa e também quis aproveitar "tudinho" porque no outro dia ela e o Filippo iriam regressar a Itália.

No dia 21 não o fiz novamente, porque fiquei em "silêncio" com tanta emoção e confesso que os olhos não deixavam ver de tão inchados que estavam!!!

Quem me conhece bem, sabe que comigo tudo acontece ao mesmo tempo intensamente! Caraças que coração é este que abarca tudo e ainda não estoirou!!!

Vou descrever, por ordem crescente, as emoções que vivi no dia 21.

1º A partida da Rita e Filippo para Itália. Apesar de dentro em breve estarem cá novamente, não consigo conter as lágrimas de saudade e tristeza.
2º O Afonso, nesse mesmo dia, partiu para os Estados Unidos, mais precisamente para Portand, a convite da empresa Intel. Aí chorei de contentamento e de orgulho.
3º O João a meio da tarde telefona-me a dizer: o Vasco já nasceu! Aí as lágrimas correram-me a fio pela emoção, pelo sentido da vida, pela continuidade da família!!!

Chorar, no mesmo dia, de tristeza, de alegria e de felicidade é dose para uma pessoa só!!!

20 SETEMBRO 2010

Já passamos 29 anos juntas! Uns cá, outros em Macau, outro algures no ar(!) e outro em Itália!
Que sorte para uma Mãe, poder passar os anos dos seus filhos com eles! Para mim é uma bênção!

Este ano tivemos também o Filippo e o Afonso. O João,Sara e Vasco já tinham há muito, esta semana reservada para férias. O almoço foi luso/italiano (pasta com trufas e um bom vinho português) cá em casa e depois, à noite, continuaste a festa no Porto com o teu grupo de amigos. Este ano achei que não nos concentramos muito na "festa" pois havia um motivo muito importante que nos galvanizou: o vosso casamento.

Lembrei-me de 1990. Viemos cá passar uns dias vindos de Macau, andamos de um lado para o outro, o Pai ainda teve que ir à Alemanha, organizamos um almoço para juntar ambas as famílias (Cameiras e Rocha Peixoto) e no dia seguinte regressávamos a Macau. Claro que nos lembramos de te dar os parabéns mas nem tempo tivemos para comprar um presente!

Voamos na Luftansa e combinamos que te daríamos em Macau. Porem o Vabenne lembrou-se de dizer: o meu presente é deixar de fumar. Como ficaste feliz, os teus olhos brilharam e até hoje o teu Pai não fumou e tu continuas a dizer que foi o melhor presente!!! A festa foi feita a bordo com as hospedeiras a trazerem um bolo e recordações. Tens ainda um cartão de parabéns, com um pin da Companhia, assinado por toda a tripulação incluindo o comandante.

Muitos parabéns, minha querida! Que em todos os dias 20 de Setembro, haja algo de bom que te faça recordá-lo com muita alegria!!!

domingo, 19 de setembro de 2010

UMA BOA SEMANA

"A questão não é desistir ou resistir, isso é demasiado simplista. A questão é a da fidelidade.

E ser fiel não é ir atrás dos sentimentos e das emoções que variam. Ser fiel é dar todas as voltas que forem precisas para alcançar os objectivos com que me comprometi.

Desistir ou resistir é passivo. A felicidade é criativa, é recomeçar cada dia."

P. Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

Uma boa táctica, para ser aplicada em PORTUGAL


No outro dia, quando me ia deitar, notei que havia pessoas dentro da minha garagem, a roubar coisas. Eu liguei para a polícia, mas disseram-me que não havia ninguém por perto para ajudar, mas que iriam mandar alguém assim que fosse possível. Eu desliguei.

Um minuto depois liguei de novo: 'Olá, disse eu, Eu liguei há bocado porque estavam pessoas na minha garagem. 'Já não é preciso virem depressa, porque eu matei-os'.

Passados alguns minutos, estavam meia dúzia de carros da polícia na área, uma ambulância e uma unidade do INEM.

Eles apanharam os ladroes em flagrante.

Um dos polícias disse: 'Pensei que tivesse dito que os tinha morto'

Ao que eu respondi: 'Pensei que me tivesse dito que não havia ninguém disponível. '


Mandaram-me esta por e mail mas julgo que, infelizmente, retrata bem, como se resolvem os problemas com rapidez!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

QUE ESTE DIA SEJA UM BOM INÍCIO...
















Dois momentos que irão marcar o dia de hoje.

1º - A chegada da Rita e do Fillipo;
2º - Inicio das sessões de acunpultura.

Digo marcar porque gostaria muito que ambos resolvessem, ou começassem a resolver dois acontecimentos muito importantes para mim:

a) Os preparativos preliminares do casamento;
b) A junção fisioterapia/osteopatia com a acunpultura para retardar a falta de mobilidade.

1ºa) - Ter os dois cá é, desde logo, uma alegria que se espalha pela casa toda e por todos! E é muito fácil de perceber: português-italiano, italiano-português, na conversa, nos vinhos e nas refeições (ouvi falar João e Sara que há umas trufas preparadas pela avó Ida, para uma pasta...mama mia!).

Depois tenho uma agenda preenchida para visitarem possíveis locais para a cerimónia, hóteis para instalar os convidados( pois vêm também de Itália) e hipóteses de se recorrer a catering
tendo só o sítio. Tudo com um plano de horas para, não só falarem com os responsáveis mas também que não seja muito cansativo.

Têm que partir daqui com uma ideia pré-formada para rapidamente tomarem uma decisão pois, por mais incrível que pareça, já há locais ocupados para esse dia :7 Maio de 2011!!!

2ºb) Depois de uma amiga me ter falado que a acunpultura, feita por profissionais crediveís tem bons resultados em pessoas que tiveram um AVC, que têm parkinson, etc, etc, resolvi, depois de ouvir o meu neurologista, avançar também para este método.

Encontrei felizmente, uma expert na matéria. Sei que os efeitos não são logo imediatos, mas fazendo duas vezes por semana, ao fim de 2 meses penso já poder ver alguma "luzinha"! E cada sessão dura quase 2 horas com massagem no fim!!! Lá "espetadinha" sou e bem!

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

BEM HAJA PAI!!

Ontem fez anos Pai. Para mim continua a fazer até ao dia que nos voltarmos a ver novamente (aí fazem festa?)!

A sua pegada forte continua ao meu lado.

Sempre tive o seu acompanhamento e ainda continuo a senti-lo.

Muito falo consigo (talvez mais do que quando era mais nova...) pois sei que os seus conselhos sempre me orientaram bem, que o seu olhar meigo e tranquilo sempre me transmitiu paz e que a sua coragem e espírito de sacrifício sempre foram um exemplo para mim.

Como poderei esquecer a coragem e determinação que demonstrou, sem angústias ou dramas, (mas com uma pena profunda pelos seus cães, os seus empregados mais próximos) a uma vida desafogada em África, para começar do zero (quando tudo poderia ter trazido se acredita-se que nunca mais regressaria)?

Como poderei esquecer que, sendo escolhido Presidente de Camara da sua terra e poucos meses de acabar o 2º mandato (onde garantiria uma reforma vitalícia) se tenha demitido por não conseguir travar os caciques que descobriu haver?

Foi para mim o melhor exemplo de honestidade, humanidade, tranquilidade e amizade que conheci.

Por isso me esforço para continuar a seguir a sua pegada... Bem haja Pai e muitos parabéns!

terça-feira, 14 de setembro de 2010

QUE SAUDADES...DAS AULAS!!!

As aulas começaram ontem e como dizem que, com a idade, recuamos com mais facilidade para as recordações mais antigas (!), deve ser por esse motivo que me lembrei de escrever este post.

"Vi" logo a caixa de madeira com um ou dois andares, onde se guardavam os lápis, a borracha, o afia lápis e a caneta (nada de esferográficas). depois a pasta de couro, para durar a primária e o secundário onde eram guardados os livros e cadernos, cuidadosamente encadernados pela Mãe (na primária) ou por mim.

Sinto ainda o cheiro da caixa reforçada pelo conjunto do material, principalmente a borracha!

Também adorava folhear os livros e meter lá dentro o nariz! Depois havia todo o cuidado com a bata. Não foi por ter andado em colégios particulares onde era obrigatório, mas acho o processo mais democrático que há: não havia cá roupas de marca nem passagem de modelos, ficando muitas meninas a olhar...Vestíamos todas igual!

Fui sempre uma aluna mediana, malandra e tirando partido das situações!

Na primária há três coisas de que me recordo:

- as aulas de ballet;
- o lanche dado a meio da manhã com o delicioso
sumo de laranja;
- a cena que fazia para a professora ter pena de mim, quando não tinha feito os deveres ou não sabia a matéria: olhava para o dedo mindinho e era certo sabido que começava a chorar...pois fazia-me imensa pena de 5 aquele ser o mais pequenino, indefeso!

Esta atitude dava para um estudo de psicologia mas a verdade é que resultava: a professora não me ralhava nem punha de castigo!

Depois do 1º até ao 5º ano fui para o colégio S, José de Clunny, em Luanda, com uma interrupção no 4º ano, que fiz no colégio Nª. Sra. do Rosário na Foz.

Deste último, recordo-me do divertimento que era na carrinha que nos ia buscar a casa e à saída com os meninos do colégio dos maristas ali ao lado! Era ver quem levava mais piropos! Para mim de muitos(!) o que mais me marcou foi de 2 rapazes em que um comenta para o outro: e quer o meu pai que eu vá para padre!!!

No colégio, em Luanda, as histórias foram muitas! Já aqui contei a redacção sobre o pirilampo,
mas muitas outras ficaram guardadas na caixinha deliciosa das traquinices com as freiras e professoras. Algumas até mázinhas!

Fico tentada a mencionar pelo menos uma. Havia uma professora que não rapava os pelos debaixo dos braços. Fazíamos apostas para ver se era capaz de chegar ao pé dela, sentada na sua secretária e dizer: Sra. Prof. mostre-me os seus tufos! Claro que eu dizia isto tão depressa que ela perguntava: o quê??? - Tenho uma dúvida e gostava que me esclarece-se - respondia eu. A turma fazia um esforço medonho para conter a gargalhada e eu ganhava a aposta!

Como o colégio só tinha até ao 5º ano fui para o Liceu D. Guiomar de Lencastre acabar o liceu. Julgo que já estava "cheia" de traquinices que pouco me recordo deste período. Ainda frequentei o 1º ano de Economia mas depois fui estudar para a Rodésia, em Salisbury.

Que belos tempos esses, mas só para maiores de 21 anos. Um dia pode ser que resolva contá-los...

Conclusão: as recordações são óptimas do tempo de estudante, as minhas melhores amigas são desse período e mesmo ligando pouco aos estudos, na minha vida profissional como secretária, posso dizer sem vaidade, que foi difícil ir mais longe!

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

A BOMBEIRA - HOMENAGEM PÓSTUMA

"Josefa, 21 anos, a viver com a mãe. Estudante de Engenharia
Biomédica, trabalhadora de supermercado em part-time e bombeira
voluntária. Acumulava trabalhos e não cargos - e essa pode ser uma
primeira explicação para a não conhecermos. Afinal, uma jovem daquelas
que frequentamos nas revistas de consultório, arranja forma de chamar
os holofotes. Se é futebolista, pinta o cabelo de cores impossíveis;
se é cantora, mostra o futebolista com quem namora; e se quer ser
mesmo importante, é mandatária de juventude.
Não entra é na cabeça de uma jovem dispersar-se em ninharias
acumuladas: um curso no Porto, caixeirinha em Santa Maria da Feira e
bombeira de Verão.
Daí não a conhecermos, à Josefa. Chegava-lhe, talvez, que um colega
mais experiente dissesse dela: "Ela era das poucas pessoas com que um
gajo sabia que podia contar nas piores alturas."
Enfim, 15 minutos de fama só se ocorresse um azar... Aconteceu:
anteontem, Josefa morreu em Monte Mêda, Gondomar, cercada das chamas
dos outros que foi apagar de graça. A morte de uma jovem é sempre uma
coisa tão enorme para os seus que, evidentemente, nem trato aqui.
Interessa-me, na Josefa, relevar o que ela nos disse: que há miúdos de
21 anos que são estudantes e trabalhadores e bombeiros, sem nós
sabermos.
Como é possível, nos dias comuns e não de tragédia, não ouvirmos falar
das "Josefas que são o sal da nossa terra?"

Por FERREIRA FERNANDES, Diário de Notícias


Um exemplo a ser seguido por muitos!!!

domingo, 12 de setembro de 2010

UMA BOA SEMANA

"Mais do que coisas novas, aquilo que precisamos é de uma maneira nova de ver as coisas.

Não é o que acontece numa sociedade envelhecida e cínica, que gere as crises com oportunismo e sem referências a valores, e uma cultura que legaliza disfarçadamente a violência e a morte, parecendo trazer novidade, mas revelando tão só esgotamento e vazio.

Quem não vir o bem no âmago da realidade nem sequer chega a compreendê-la e não tem futuro."

P. Vasco Pinto de Magalhães, s.j.

sábado, 11 de setembro de 2010

ACONTECIMENTOS QUE NÃO SE PODEM ESQUECER



















Estava no Algarve quando vimos estas imagens pela TV. O choque foi brutal e fiquei com a noção que o mundo, a partir desse momento, iria mudar.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

O MEU CASAMENTO

Ao iniciar os preparativos para o casamento da minha filha sou forçosamente levada a pensar, com um sorriso, no meu casamento.

Foi a 14 de Junho de 1975, ano muito conturbado. O Vabenne vivia em Lisboa, onde estudava arquitectura e eu no Algarve, depois de regressar de Luanda, com a Mãe e irmãs. O Pai, que nunca acreditou que teria que deixar Angola e sendo administrador de uma grande empresa de exportação de café, vinha de 3 em 3 meses a Portugal.

Como eu não queria ficar cá "fechada" dado os contornos políticos que se estavam a prever e como o Vabenne não conseguia ter aulas com as "rga",pensamos em sair do país. Resolvemos escolher França por ser mais vantajoso para o Vabenne (apesar de não conhecermos lá ninguém), do que o Brasil que eu tinha preferido e onde o Pai tinha contactos.

Mas para sairmos tinhamos que casar. Irmos os dois viver juntos julgo que seria um desgosto para ambas as famílias! Mais uma diferença em apenas 35 anos!!!

O casamento seria em Lisboa. Escolhemos a capelinha dos ingleses em Cascais mas a mesma foi-nos desaconselhada pois seriamos insultados de "facistas" por grupelhos do MRPP, PC,etc,etc,etc, tendo já havido confrontos noutras situações. Portanto Sé de Cascais. Nem a igreja podemos escolher...

O Vabenne ficou de escolher o local para jantar: qual aperitivos, 2 pratos, buffet de isto e daquilo. Um jantar simples só com a família mais próxima. Qual lista de casamento ou "envelopes".

Precisávamos de dinheiro para enfrentar os 1ºs tempos em Toulouse e de uma tenda de campismo, 2 boas mochilas e apetrechos para cozinhar. Fotógrafo? Dos presentes havia quem tivesse máquina!

Nos arredores de Cascais havia 2 restaurantes de 2 irmãos muito parecidos fisicamente, com nomes muito semelhantes e ambos bons: o Broa de Trigo e o Pão de Trigo (se a memória não me falha). Provavelmente com o nervosismo, a tensão, ambos foram contactados, visitados e escolhido o jantar, sem o Vabenne se aperceber. Concluindo: havia 2 restaurantes a aguardar o mesmo casamento!

A noiva teve que esperar pelo noivo, a missa foi celebrada pelo P. Roque Cabral, grande amigo do Pai desde o Colégio das Caldinhas e, no final uns dirigem-se para o Broa de Trigo e outros para o Pão de Trigo! Espera que espera,telefonemas para uns, telefonemas para outros e finalmente...o encontro de não mais de que uma dúzia de pessoas!!!(irrita-me este buzinar dos carros aqui no norte quando seguem em fila para o local mas são capazes de ter razão!).

O Pai emprestou-nos,para a lua de mel, um Fiat Coupé que tinha mandado vir de Itália de importação que já não seguiu para Angola.

O Vabenne tinha em segredo o sítio onde iríamos dormir essa noite. Fomos a Carcavelos trocar de roupa (apesar do meu vestido ser curto era muito bonito e do Vabenne levava um casaco emprestado de um irmão) e buscar a mala.

Já seria tarde, talvez 23.00h ( quais 4, 5 ou 6 da manhã) e dirigiamo-nos em direcção a Colares,
quando o Vabenne vê um homenzinho na estrada a pedir boleia e resolve dar-lhe! Muitas vezes comentamos o perigo que corremos e como coubemos os 3 no coupé!!!

Voltas, curvas, subidas e quando o homem ficou no sítio que queria o Vabenne apercebesse que estava perdido! No meio do nada, escuro que nem breu, sem placas ou sinalizações a indicar Colares! Telemóvel? GPS? Mais uma diferença de 35 anos!!!

Enfim lá apareceu uma luzinha e assim chegamos ao destino. Eram 4.00 da manhã. Tudo fechado. Toca a bater, a carregar na campainha. Aparece o dono e qual o espanto quando nos vê: esperou, esperou e como não aparecemos alugou o nosso quarto.

Devo dizer que é uma pousada com meia dúzia de quartos, o mais familiar possível. Solução: dormir num anexo e no dia seguinte passar para um quarto. Eu ria-me que nem uma tola e só me lembrava: sou a Cinderela que se atrasou!

No dia seguinte lá nos mudamos e estivemos mais 2 dias. Voltamos lá uns anos depois e continuava muito agradável: Pousada do Leão!

Poderia ter havido mais peripécias num casamento? Poder podia...mas estas chegaram para as recordar para sempre!!!

E a lua de mel???

CASAMENTO À VISTA...(II)

Como numa geração, tanta coisa mudou!

Estou, com a minha filha que vive em Itália, a delinear o casamento dela. Isto só é possível ao skype e aos voos low cost! Vai ser em Maio e apesar de faltarem 8 meses não é muito tempo nem ansiedade de Mãe!

Gostavam de casar num sitio com vista para o mar (e local em condições e para o nº de pessoas?), vão trazer de avião família e os amigos italianos, que terão que ser transportados (será de autocarro) para Viana, instalados e depois levados novamente ao aeroporto! Isto começará dia 6 e acaba a 8!

Tudo muito simples, muito familiar mas com uma logística nada pratica.

Isto dá horas de skype, busca de locais, confirmação de possibilidades e vindas a Viana. Daqui a uma semana já cá estão. Só por isso, já vale este casamento!

Agora levo isto na desportista, mas quando o tempo for passando acho que o nervosismo vai ser grande: os convites, o vestido, a escolha definitiva do sítio, a escolha da ementa, a escolha da decoração, a recepção aos italianos, a sua cómoda e simpática instalação em locais agradáveis, etc, etc,etc.

Se se ouvir gritar "HELP" já sabem quem é: uma bacouca que já vibra de felicidade mas está meia tonta sem saber para onde se virar!!!

Sei que terei ajuda e todo o apoio mais não seja... psicológico.
Adoro-vos Rita e Filippo.

Minha querida Sara ainda mais valor dou ao que fez com a sua Mãe para que o vosso casamento fosse tão bonito. Ainda falamos dele!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

PARA DESCONTRAIR...

 Numa Discoteca Africana....

- A minina dança?
- A mulatinha levanta-se:
- Não, vô mijá.
- Vai mijá mas vorta?
- Não, vou mijá imbora!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

FIZ MAIS UMA ESCOLHA...

Caraças!

Faço tudo para ter sempre a cabeça fora de água, apesar de várias vezes engolir uns pirolitos e remar contra a maré (ficando cansada), mas tenho alturas que parece que uma força invisível quer que eu me afogue.

Estive há pouco agarrada a uma"tábua" onde meditei na estratégia das próximas braçadas. Sentindo-me mais confiante, resolvi lançar-me para chegar a porto seguro.

Começo a "ver" uns tubarões, uns polvos gigantes e até uns chernes e apesar de não querer desanimar aquilo meteu-me medo e deixou-me outra vez desacreditada se a minha sanidade mental iria aguentar.

Tive que berrar, bracejar para não deixar que a cabeça fosse outra vez "tapada" por essa onda e pensei: que se dane, vou-me abstrair disto e pensar nas coisas boas que me agradam, nas recordações óptimas que tenho.

Começei com este exercício mental, abstraindo-me de tudo o que me preocupava, metia medo ou me deixava triste e assim fui arrastada uns metros quando me aparece um rochedo.

Subo e qual é o meu espanto quando vejo que não tinha nada! Encontrei somente uma "CRONICA DO ROCHEDO" que conseguiu transmitir-me um vazio. Carago é demais para uma mulher!!!

Portanto decidi: a partir de hoje e até chegar a terra firme só vou seguir as "correntes" que são utilizadas pelo platon florescente e peixinhos alegres!!!

Tenho dito...

terça-feira, 7 de setembro de 2010

A JUSTIÇA É CEGA MAS A INJUSTIÇA... VÊ...

Vai apoderando-se de mim, o pressentimento de que todos os valores importantes da sociedade se estão a vulgarizar, tornando tudo banal, sem ética, sem princípios!

Já deixei há muito de ver os telejornais porque detesto ser manipulada por gente estúpida.

Já deixei de ler os jornais, porque não tenho capacidade de encaixe para ver qualquer imbecil escrevinhar a sua opinião.

Acompanho os assuntos importantes do nosso país
através de informação séria e não tendenciosa.

Isto com o propósito de não vir sequer a pensar como Dagmar V. Rodrigues:

"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto".


A fotografia não foi tirada de nenhum sítio pecaminoso. Foi escolhida do Google.
E foi escolhida por mim pois retrata a vergonha em que se encontra o país.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

SETEMBRO


Sendo doze, tenho uma preferência especial por dois meses do ano e um começou agora: Setembro!

O outro é o mês de Maio.

Pergunto-me o porquê destas "manias":
- Será porque a sonoridade me agrada?
- Será por algo me ter marcado?

Depois de todos os anos meditar sobre isto, julgo que a razão poderá ser esta: meses de transição para estações opostas.

Por norma, são períodos serenos que me vão habituando, aos poucos, ao calor e ao frio, aos dias longos ou às noites compridas, ao prazer de andar fora de casa ou ao conforto de um bom livro com a manta e a lareira a crepitar.

Dias em que começo a aperceber-me da variedade de cheiros, as flores a despontar, o burburinho das pessoas, a excitação dos "amores coloridos", o mar convidando para um belo mergulho, ou, em oposto,
em Setembro a chuva tem um cheiro especial, as folhas lentamente vão tomando os meus tons preferidos, o tempo transmite-me paz e o colocar um simples casaco de malha de manhã e ao fim do dia, transmite-me um aconchego ao qual gosto de associar a uma bebida quente.

Aguardo, uma vez mais com alegria, este Setembro!

A PENA VALE A PENA!!!

domingo, 5 de setembro de 2010

UMA BOA SEMANA

"A ave canta, mesmo que se parta o ramo, porque sabe que tem asas. Nós na hora da dificuldade ou da doença, deixamos de cantar. É assim porque não sabemos ver com vistas largas e profundas.

Porque só vemos, com as palas que temos nos olhos, aquilo que está mesmo diante de nós. Porque só confiamos no que tocamos e está à mão.

Pobre materialismo, tão infeliz...Voa tão baixo..."

P. Vasco Pinto de Magalhães, s.j
.