Seguidores

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

ONDE ESTOU? O QUE SOU?

Ainda acho que estou na fase da negação, ou pelo menos, sempre que me lembro que fez ontem um mês que nos deixou, de uma forma tão repentina, tento vaguear o meu pensamento para outras coisas, pego a correr num livro para me ocupar a cabeça, dou uma volta pela casa de andarilho e recomeçei a trabalhar na clínica.

Contudo, já chorei mais este mês do que toda a minha vida e quando os "truques" que arranjo para me dispersar não dão, as saudades são tão grandes e a dor tão forte...

Não quero chegar à revolta e penso que, onde estiver, não gosta de ver a sua mãe assim e que é mais um anjo que olha por mim. E é isto que eu quero interiorizar mas é tão difícil...

Sei que continuo com tudo o resto, e que ainda tenho motivos para lutar, para sonhar, para sorrir, para amar mas nada substitui a sua presença...

Uma mulher quando perde o marido é viúva, se perde os pais é orfã e quando perde um filho? Quem souber que me diga.

Quero continuar a escrever neste meu cantinho.

8 comentários:

Dreamer disse...

Quando uma mãe perde um filho não tem nome: só um buraco no peito!
Coragem, bacouca, eu já passei por isso e sei como é. Volte a escrever!

Ritália disse...

Eu não sei como se pode sentir uma mãe que perde um filho. Posso só imaginar.
Mas sei que esta Mãe tem muita força, é uma lutadora e que aquele Filho era muito orgulhoso da mãe que tinha, e tem, e que só quer que ela continue a escrever aqui, a trabalhar, a andar, a sorrir,...enfim a viver com toda a garra que sempre a acompahou.
E lembre-se sempre que por mais extraordinaria que a Mãe seja, é sempre humana e como tal também terá as suas quebras...E nessa altura cá estou eu!
Adoro-a.

bacouca disse...

Dreamer,
É uma parte muito importante de nós que é amputada. Sei que tenho que manter o meu equilibrio e na verdade o apoio da família e amigos é muito importante. Sei que é uma dor que me irá acompanhar até eu partir também, mas tenho que a "controlar". Vou fazer o meu melhor...
Um beijo

bacouca disse...

Minha querida,
Eu sei minha querida, que o seu irmão quer que a mãe se mantenha forte, positiva, com garra para este "embate" tão doloroso e a menina tem provas que quando me senti mais em baixo, sem forças para fazer coisas banais, dizia alto: é preciso não é meu querido? E o que acontecia? Conseguia!!!
Quando tiver quebras sei, graças a Deus, quem me dará um empurrão...Tadoro.

GJ disse...

Bacouca, fico contente que tenha aparecido por aqui, também gostei de saber que recomeçou a trabalhar na clinica.
Como diz a Dreamer, o buraco fica para sempre, mas a coragem renova-se com pequenos alentos.

bacouca disse...

GJ
A coragem tem que ser sempre renovada e por isso é que pretendo reiniciar a minha vida, dia a dia. E são esses alentos que nos vão dizendo que o nosso coração ainda bate.
Um grande beijo

Laura disse...

Bacouquinha; antes já há meses deixaste de escrever, escrevi e nem respondias, então pensei; não deve gostar muito do que eu escrevo ou comento; paciência...mas ainda hoje pensei de novo, porque terá a bacouqinha deixado de escrever, penso que não a ofendi.

Minha querida, todos dizemos; força, mas a força onde está naqueles momentos que precisamos dela?

Se não te for dificil, escreve-me sim?

Como lamento a tua dor, como lamento que mães tenham de passar pela perda de um filho querido.
Mas dentro de ti sente, que esteja ele onde estiver, o nosso amanhã será juntos, pertinho, como vizinhos queridos, pois Deus não ia juntar famílias para acabar com elas pela morte!

Gosto muito de ti e continuava a gostar memso que não escrevesses. Quem sabe andavas já na angustia que ias sentir.

Um abraço apertadinho e um dia hei-de ir a Viana, o Nuno leva-me, marcas tu e combinamos...tá bem minha querida?

laura

bacouca disse...

Minha querida Laura,
Como poderia estar zangada contigo? Já te conheço e pelos textos que escreves transpira a tua sensibilidade, a tua humanidade.
Andei uma fase mais cansada, antes disto ter acontecido, pois o meu estado fisico ressente-se muito com o tempo e podes crer que nem abria os emails.
Eu sei que é mais um anjo que me está olhando e que nos iremos encontrar mas as saudades aumentam...
Eu estou sempre livre excepto terças e quintas. Vê m dia que te dê jeito e ao Nuno e combinamos. Agora trata-te da constipação e vamos deixar esta chuva partir.
Um grande beijo