Seguidores

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Com se escoa o tempo!

Como o tempo se esvai sem por vezes termos a noção que assim é!

Já fez 7 meses que o meu filho Afonso partiu e parece-me que foi ontem.

Já estamos em meados do ano e os projectos que eu tracei para me ajudar a mim própria, para que tudo se tornasse mais fácil e nem 1/3 executei.

Tenho a noção que vivo o dia a dia de uma maneira morna, sem grande convicção, sem grande prazer tirado de coisas pequenas, com pouco ânimo e assim o tempo se vai esvaindo.

Sei que tenho que mudar esta minha maneira de enfrentar cada dia a dia, pois sem dar por ela, vou envelhecendo por dentro e por fora. Tenho que voltar a obter a minha força anímica pois só assim conseguirei ajudar-me. Pode não ser fácil pois nada é como era dantes, mas isso não pode ser motivo para que deixe o tempo escoar. E o tempo não espera. As decisões têm que ser tomadas e postas em prática para que eu possa dizer com segurança: vivo e não sobrevivo.

Espero a ajuda do Senhor e juntos vamos voltar a fazer o caminho caminhando.

8 comentários:

Ritália disse...

Dizem que o Homem é um animal de hábitos. E verdade, principalmente consigo. E cada vez lhe é mais dificil quebrar a rotina diária. Não pode ser, tem que combater isso, aproveitar os dias de Verão e sair. Combater a inercia e deixar de se esconder na carapaça. E, mais uma vez, é tudo uma questão de habito, e de um dia a seguir ao outro. Quando der por ela já não passa sem o passeio. Como vê, já até resiste ao doce depois do jantar! ;)

Bacouca disse...

Ritália,
Tens toda a razão: o homem é um animal de hábitos e a mãe é muito assim. Habituo-me a uma coisa e depois faço sempre o mesmo: quem me tirava o café de manhã fora de casa e um doce depois do jantar? Ninguém e agora passo bem sem isso.
Tenho que sair da carapaça e "soltar-me". Depois ninguem me apanha, hehehe.
Obrigado pela chamada de atenção.
Um grande beijo.

Mike disse...

Menina Bacouca, os projectos que temos para a vida são, muitas vezes, alterados pelos projectos que a vida tem para nós.
Um xi.

Dreamer disse...

È preciso sair da rotina. Até as águias pequenas têm de levar um encontrão da mãe para começarem a voar e sair do ninho. E o Vabene e os outros filhos e o Vasquota precisam todos de si e da sua força. Bj grande

GJ disse...

Bacouca, tenho pensado que o tempo pode ser analisado segundo a perspectiva de etapa ou de fase. A etapa atinge-se, vence-se. A fase ultrapassa-se.
Mas melhor do que eu, sugiro-lhe a seguinte leitura:
http://adeus-ate-ao-meu-regresso.blogspot.com/2011/07/carta-um-anjo.html
do JdB.
Bj

Bacouca disse...

Mike,
Com um caraças! Hoje voltei a pensar em si. Faz-me falta a Desconversa pode crer!
Pensei que poderia estar a atravessar a crise dos 50 ou ter partido atrás do cheiro dos frangos para Austrália!
Tem razão Mike a vida obriga-nos a dar curvas que nunca pensamos ter que dar uma reviravolta tão grande.
Mas é preciso, com grande esforço, pensar que a vida continua.
Muito obrigado por ter aparecido!
Um xi

Bacouca disse...

Dreamer,
Eu sei que me fazia muito bem sair da rotina. Ir ter com as amigas, ver montras, ir para uma esplanada, mas o meu cantinho sabe-me tão bem e distraio-me tanto! Dizem (será teorias?) que é uma fase do luto fecharmo-nos ao mundo exterior. Sei que o núcleo duro da família precisa de mim e são eles que agora me dão a força!
Beijo

Bacouca disse...

GJ
Tambem fiquei feliz por a ver aqui! tenho ido ao seu cantinho e nada mais escrito. Confesso que me preocupei pela sua saúde.
A etapa atinge-se a fase ultrapassa-se. Tem toda a razão mas neste processo de luto penso que a fase é mais dificil pois o pensamento é difícil de "cortar". E o tempo aqui em vez de atenuar vai agravando. É preciso ter a cabeça sempre muito ocupada.
Vou ver o que me sugeriu. Muito obrigado.
Apareça e escreva no seu cantinho!
Beijo