Seguidores

sábado, 27 de agosto de 2011

Mais uma batota!!!

Outra batota!

Deixei um espaço livre onde descrevi a despedida do João, Sara e Vasco. Depois foi recordar, não deixar a empregada limpar as vidraças que dão para o relvado onde o meu neto tanto brincava trazendo folhas e relva para a avó, deixando nas mesmas as marcas das suas mãozinhas!

Avó bacouca mas que vibra assim!

Hoje já me sinto mais recomposta e sonhando com o novo encontro, este com a Rita e o Filippo!

Espero que me desbloqueie a memória e me surja imaginação para escrever neste espaço que me aparece em branco.

Temas existem mas tem que haver um"clique" nos neurónios! Escrever no decorrer do pensamento é fácil. Difícil é pensarmos: tenho que escrever e isso eu não consigo.

Como por exemplo esta semana dediquei-a a imaginar tarefas que me ajudarão a melhorar a locomoção e não estar sempre a martirizar-me: vou começar a pintar a carvão e a não esquecer tanto os livros aqui postos na mesa de trabalho. Terapia pessoal que é tão importante se os médicos dizem que o agravamento da minha locomoção é em grande parte psicológica devido ao trauma e por conseguinte ao luto que estou a fazer. Eu sabia que a cabeça comanda muito mas ninguém me ensinou a fazer "off" e "on". Tenho que ser eu com o que conheço de mim.

Requer esforço, vontade e muita esperança. E isso sempre tive e espero que não seja agora que mais preciso, que vou perder.


4 comentários:

Luz disse...

Que post mais lindo e cheio de Aninha!
Fiquei um tempo sem escrever. Escrever porque tem que...não dá. Creio que esse espaço é para nos alegrar, conviver.
Quando chegar a hora os espaços serão preenchidos pela palavra...
Quero ver seus próximos trabalhos de pintura no carvão! Fiquei curiosa aqui.
Essas tarefas são terapias enormes e fazem um bem enorme a nossa alma e ao nosso coração.
Achei lindíssimo seu gesto de deixar as mãozinhas do netinho. Tão cheio de significados. Tantas coisas vinham junto com as folhas e as relvas não?
Guarde-as e armazene um bocado para sempre que precisar.
As folhas que seu neto lhe deu eram verdes. Esperança pura que você já possui.
Te amo.
Obrigada por compartilhar um bocado da Bacouca.
Beijinhos verdes.
Luz

Dreamer disse...

Pintar ou desenhar é uma boa terapia. Eu que o diga! Queremos ver fotos das suas obras!

Bacouca disse...

Luz,
Estas mãozinhas nas vidraças faz-me ainda recordar mais que por elas me fazia "kuku" quando brincavamos às escondidas, lhe me atirava beijinhos colando a mão ao vidro, que por elas me trazia a relva e as folhas para me oferecer!
Veremos como me saio com a pintura a carvão. É uma experiência que julgo me irá distrair muito.
Um beijo

Bacouca disse...

Dreamer,
Primeiro deixe-me fazer os 1ºs esboços e ver como me saio! Só depois e se valer a pena, colocarei um ou outro aqui. Penso começar pela fotografia mas como tudo é novo vou ver para o que terei mais mão!
Beijo