Seguidores

sábado, 22 de agosto de 2009

O PACIENTE FÁTIMA!






Hoje lembrei-me que em toda a minha vida conheci dois negros que ficaram brancos! Um que marcou uma época da música contemporânea e alterou a encenação em palco com os seus passos fabulosos de dança e outro o meu paciente Fátima!

Na altura e apesar de ser educada num colégio de freiras nunca te perguntei se, sendo tu homem, o teu nome se devia a alguma promessa.

Todos os fins de semana estavas no Clube de Pesca, com o barco pronto para caso eu quizesse, percorrer a Ilha do Mussulo, com um grupo de amigos para fazer sky aquático, mergulho com garrafas de oxigénio ou ver jamantas.

Rias-te muito das nossas quedas e das partidas que faziamos uns aos outros para ver quem se aguentava sem cair, quando te mandavamos guinar o barco de curva em contra-curva com o motor ao máximo (140 cavalos)! Por vezes faziamos dois ou três sky ao mesmo tempo.

Tu nunca tinhas feito sky e eu resolvi que naquele domingo também irias aprender e tirar partido daqueles momentos tão divertidos.

Julgo que ficaste um bocado apreensivo mas o Fátima era o Fátima, marinheiro de quatro costados e portanto não querias perder as brincadeiras daqueles "mininos malucos".

Deite-te as explicações que achei necessárias, os "truques" para não ires logo de cabeça à água e adaptamos os skys aos teus pés. Lembro-te que disseste:

- Xê minina, Fátima nunca calçou sapato tão grande.

O R.M.M. resolveu conduzir e depois de te perguntar - preparado? - arrancamos. Claro que encolheste, já em pé, os braços e caiste. Tinhamos atinguindo a velocidade necessária e eu não te via aparecer à tona da água. Entre o tempo de ver se surgias e o de avisar para parar o barco, decorreram alguns minutos.

Tinhas bebido litros de água, ficaste branco como a cal e porquê? Não tinhas largado a corda e portanto fizeste uma distância considerável debaixo de água. E eu que te tinha pedido tanto para a largares logo, caso caisses.

Quando te perguntei porque o não fizeste respondeste já com o teu sorriso de orelha a orelha:

-Xê minima, assim Fátima não perdeu o barco.

Caraças, quase que ias morrendo branco Fátima!

4 comentários:

PoesiaMGD disse...

Divertido!

Deixo um convite para partilhares com mais pessoas:

http://www.escritartes.com/forum/index.php?referredby=3

Abraço

bacouca disse...

Poesia MGD
Obrigado!
Irei visitar: adoro partilhar com gente positiva, com sentido de humor porque rir torna-nos mais "bonitos"!
Beijo

Lisa Nunes disse...

Adorei sua homenagem a Fátima.
A foto está a altura:)
Beijinhos

Luz disse...

Bacoua

Eu fico imaginando a cena!!!
Nunca havia visto homem com nome de Fátima.
Beijinhos