Seguidores

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Caraças, ainda estou com o jet leg da chegada a Macau?

Escrevi no início da semana e nunca mais voltei. As obras em casa, este sol que tem estado presente, as conversas no skype com os meus filhotes (onde até consigo ouvir as gargalhadas do "estrunfe"), têm-me deixado muito distraída.


Tenho desculpa porque isso também faz parte da minha vida. Por tudo isso lembrei-me desde texto do Mário Quintana.



"O tempo

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado.
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas... Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará."


Mário Quintana

2 comentários:

mike disse...

Ah, o Mário Quintana... ninguém nunca desconversou e tresleu como ele, Bacouca. Eu Quintana-fã, me confesso. :)

bacouca disse...

Mike,
Ai uê patricio ainda bem que você sabe escolher!
Xi